Escolha as suas informações

Ministro da Educação descarta ensino à distância na Páscoa
Sociedade 19.03.2021 Do nosso arquivo online

Ministro da Educação descarta ensino à distância na Páscoa

Ministro da Educação descarta ensino à distância na Páscoa

Foto: Jonas Güttler/dpa
Sociedade 19.03.2021 Do nosso arquivo online

Ministro da Educação descarta ensino à distância na Páscoa

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Apesar de o número de infeções por coronavírus na comunidade escolar estar em alta e superar 300 por semana, o ministro da Educação descarta para já recorrer ao ensino à distância.

Claude Meisch afirmou hoje, à RTL, que embora se detete atualmente mais casos ligados entre si, o número total de novas infeções nas escolas tem-se mantido estável. O responsável pela pasta da Educação contradiz-se, já que no início da semana defendeu que se o número de infeções semanais nas escolas fosse superior a 300, isso teria como consequência recorrer ao ensino à distância antes ou depois das férias escolares da Páscoa.

Na semana passada, houve 337 casos registados nos estabelecimentos escolares do país, mais 29 do que na semana anterior.

O ministro frisa que até agora não foi preciso recorrer ao ensino à distância da parte de tarde, uma das medidas que consta no novo plano de contingência quando se verifica muitos casos numa mesma escola. Também não foi necessário até ao momento encerrar nenhum ATL.

Para além disso, Claude Meisch diz que o ensino à distância antes das férias de Carnaval não teve o resultado desejado quanto à diminuição de novas infeções nas escolas.

De salientar que esta posição do Ministério da Educação de não recorrer ao ensino à distância antes das férias da Páscoa pode mudar de um dia para o outro. O mesmo aconteceu antes das férias de Carnaval, em que o ministro avisou com um dia de antecedência que os estabelecimentos escolares iriam fechar.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas