Escolha as suas informações

Máscaras de pano de empresa luxemburguesa estão a dar polémica na Bélgica
Sociedade 24.02.2021

Máscaras de pano de empresa luxemburguesa estão a dar polémica na Bélgica

Máscaras de pano de empresa luxemburguesa estão a dar polémica na Bélgica

Foto: AFP
Sociedade 24.02.2021

Máscaras de pano de empresa luxemburguesa estão a dar polémica na Bélgica

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Máscaras foram fornecidas pela empresa luxemburguesa Avrox estão a ser investigadas pelas autoridades belgas.

No mês de junho, o Governo belga distribuiu máscaras de pano gratuitas à população, sendo algumas delas fornecidas pela empresa luxemburguesa Avrox. E são exatamente estas que estão agora a ser motivo de polémica no país vizinho por suspeita de serem prejudiciais à saúde.

Segundo o canal belga RTBF, o tecido da máscara contém nanopartículas de prata e dióxido de titânio. Se inaladas essas partículas podem ter efeitos nefastos nas vias respiratórias, sobretudo pessoas com problemas respiratórios. 

O meio de comunicação refere um relatório confidencial do Instituto de Saúde Pública belga que dá conta destas revelações. O instituto não se pronunciou sobre o caso, dizendo apenas que o estudo ainda não foi tornado público, e que ainda não se sabe se as nanopartículas em questão se desintegram do tecido.

A Bélgica tem ainda armazenadas mais de 3 milhões de unidades das máscaras fornecidas pela luxemburguesa Avrox. Apesar de estar sedeada no Grão-Ducado, as máscaras foram produzidas na Ásia. Mas esta não é a primeira polémica relacionada com a Avrox. Num artigo publicado em maio de 2020 na edição francesa do Luxemburger Wort, o jornal dava conta de uma empresa "misteriosa" fundado por um jordano que vive em Malta. Apesar de pouco mais se conhecer, a par com a Ghent, Tweeds & Cottons, a Avrox ganhou o concurso europeu lançado por Bruxelas para a entrega de 18 milhões de máscaras na Bélgica.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas