Escolha as suas informações

Mãe de Puto G pede à Justiça luxemburguesa para pôr lago de Remerschen a funcionar "como deve ser"
Puto G.

Mãe de Puto G pede à Justiça luxemburguesa para pôr lago de Remerschen a funcionar "como deve ser"

Screenshot Youtube
Puto G.
Sociedade 5 1 3 min. 01.08.2018

Mãe de Puto G pede à Justiça luxemburguesa para pôr lago de Remerschen a funcionar "como deve ser"

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
A resposta chegou, por coincidência, no dia em que morreu um segundo homem no lago de Remerschen (29 de julho), um mês depois de o músico Puto G ter perdido a vida ali, por afogamento (30 de junho). Domingas Rocha, mãe do rapper de origem cabo-verdiana, respondeu que estava disposta a falar ao Contacto, o que aconteceu esta terça-feira.

Domingas Rocha nunca teve vida fácil, mesmo depois de ter trocado Cabo Verde por Portugal. Com o divórcio passou a criar sozinha seis filhos. Depois da morte do terceiro filho, José Carlos Cardoso (rapper Puto G), a emigrante cabo-verdiana, residente na Amadora, diz que as coisas lhe correm agora pior e que não tem ajuda, nem para apresentar queixa contra os responsáveis do lago de Remerschen.

"Estou desesperada, triste e sem saída. As coisas não me estão a correr bem. Tenho uma filha pequena, de seis anos, e isto está uma confusão para mim", começa por desabafar.

Domingas Rocha não estava a par da morte por afogamento de um cidadão búlgaro de 53 anos, no passado domingo, no lago de Remerschen, entre Schengen e Remich. Quando soube da notícia, reagiu logo.

"A Justiça devia pôr aquilo em ordem para eles saberem governar o lago como deve ser. Eu fico a pensar como fazer isso, mas não tenho condições para pagar o que podem vir a exigir-me. Não estou preparada. O meu filho não é um animal para morrer dessa maneira. Esse lago devia ter segurança", critica.

Depois da morte de Puto G, o Contacto falou com a comuna de Schengen, que gere o lago. Os responsáveis descartaram qualquer responsabilidade na morte do rapper, alegando que os banhos são por conta e risco dos visitantes, apesar de cobrarem quatro euros por entrada. "Os visitantes recebem uma bracelete à entrada com a mensagem de que são responsáveis em caso de acidentes e há avisos em francês e alemão", disse na altura o vereador responsável pelo lago, Tom Weber.

Confrontado pelo Contacto sobre o reforço da vigilância do lago de Remerschen, o principal conselheiro em questões de segurança do país (do Ministério do Interior), Laurent Deville, disse que o seu ministério não pode fazer nada porque o caso é da competência da comuna. "No lago de Haute-Sûre também não há vigilância. Quanto ao preço de entrada, não é para a segurança. Isto é um caso de responsabilidade civil", disse ainda Laurent Deville.

"Fez uma música para mim chamada 'Mãe Guerreira'"

Sem a mãe, o filho de três anos e os irmãos por perto, Puto G morava "sozinho" há quatro anos em Athus, do outro lado da fronteira belga, enquanto procurava um trabalho estável no Luxemburgo. A última vez que a mãe o viu "foi em abril ou maio", diz Domingas, sem se recordar do mês exato, por sentir ainda a "cabeça cansada".

"Tenho seis filhos, mas este mexeu muito comigo. Ele era um doce, muito querido. Disse-me 'mãe, qualquer coisa, até posso dar-te o meu respirar. Trabalhaste duro para sustentar a gente'. Ele até fez uma música para mim chamada 'Mãe Guerreira', em que canta que eu trabalho a limpar escadas de prédios para dar o melhor aos filhos, que se eles não foram parar à cadeia foi graças a mim, que eu trabalhava aos sábados, aos domingos e feriados e à noite", conta, com voz embargada. "Mas tive de deixar de trabalhar à noite, porque estava a entrar em esgotamento. Desisti porque não conseguia trabalhar de dia e de noite".

Sobre os avisos que a comuna de Schengen garante ter afixado no recinto, diz que não sabe se algum foi posto depois da morte do filho, mas que mesmo assim, não pode fazer nada. "Mas se pudesse eu fazia uma queixa. Ele foi para tomar banho e não para morrer", desabafa.

O Contacto esteve no lago de Remerschen duas vezes depois da morte de Puto G e sabe que houve algumas mudanças. Há agora um enorme cartaz à entrada com um mapa detalhado do parque de lazer indicando zonas de banho, zonas não vigiadas, zonas dos insufláveis, de grelhadas, desporto, entre outras áreas. Há também painéis espalhados recentemente pelo recinto a avisar que os banhos são por conta e risco dos visitantes.