Escolha as suas informações

Luxemburgo vai receber até 2.500 doses da vacina contra a varíola dos macacos
Sociedade 22.06.2022
Surto

Luxemburgo vai receber até 2.500 doses da vacina contra a varíola dos macacos

Serão precisas duas doses para atingir o nível básico de imunização
Surto

Luxemburgo vai receber até 2.500 doses da vacina contra a varíola dos macacos

Serão precisas duas doses para atingir o nível básico de imunização
Foto: Shutterstock
Sociedade 22.06.2022
Surto

Luxemburgo vai receber até 2.500 doses da vacina contra a varíola dos macacos

Diana ALVES
Diana ALVES
A informação foi avançada pela ministra da Saúde em resposta a uma questão parlamentar.

Até ao final do mês, o Luxemburgo deverá receber cerca de 2.500 doses da vacina contra a varíola dos macacos.

Na resposta a uma questão parlamentar, divulgada esta quarta-feira, a ministra da Saúde, Paulette Lenert, adianta que, do total de 110 mil doses encomendadas pela União Europeia (UE), “até 2.500 estão previstas para o Luxemburgo”.


Varíola dos macacos. Portugal vai receber 2.700 vacinas de Bruxelas
Portugal vai receber 2.700 doses das vacinas contra o vírus Monkeypox adquiridas pela Comissão Europeia, confirmou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS), que está a definir a forma como serão utilizadas.

Segundo a governante, “a entrega das vacinas na Europa deverá acontecer antes do fim do mês”, embora não haja ainda uma data concreta definida. Lenert esclarece também que, para atingir um nível básico de imunização, serão precisas duas doses da vacina.

Luxemburgo também vai receber medicamento

Quanto ao medicamento Tecovirimat, usado no tratamento da infeção, Paulette Lenert avança que a UE também está a preparar uma encomenda, não havendo ainda detalhes sobre quantidades ou data de entrega. A ministra prevê, no entanto, que o Grão-Ducado receba até 100 tratamentos que serão reservados a pessoas consideradas de risco.

Recorde-se que o Luxemburgo regista, até agora, um caso de varíola dos macacos confirmado. O primeiro caso da doença foi detetado no passado dia 15 de junho. Na altura, as autoridades descreveram o estado de saúde do paciente como “excelente”.

Segundo Paulette Lenert, todos os contactos da pessoa infetada foram identificados pela Direção da Saúde.


Monkeypox, um vírus antigo que se está a espalhar pela Europa
Fora dos países africanos foram detetados mais de 550 casos em maio. ONU e associações alertam que vírus não tem género nem orientação sexual e que apesar de não ser, atualmente, um risco para a população em geral pode afetar qualquer sexo.

As pessoas com sintomas de uma infeção (erupções cutâneas, febre, dores de cabeça, dores musculares, dores de costas, inflamação dos gânglios linfáticos, calafrios e cansaço) devem consultar o Serviço Nacional de Doenças Infecciosas e evitar relações sexuais e qualquer tipo de atividade que implique um contacto próximo até que a infeção desapareça.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas