Escolha as suas informações

Luxemburgo sem casos de chocolate contaminado com salmonela
Sociedade 2 min. 01.07.2022
Saúde

Luxemburgo sem casos de chocolate contaminado com salmonela

Saúde

Luxemburgo sem casos de chocolate contaminado com salmonela

Sociedade 2 min. 01.07.2022
Saúde

Luxemburgo sem casos de chocolate contaminado com salmonela

Redação
Redação
A garantia é dada pela Segurança Alimentar um dia depois do grupo suíço Barry Callebaut ter anunciado a suspensão da produção de chocolate na sua fábrica de Wieze, após a descoberta de salmonela.

A autoridade da Segurança Alimentar do Luxemburgo assegurou, esta sexta-feira, que até à data não foi detetada a distribuição de produtos de chocolate contaminados com salmonela no Grão-Ducado, quer pelo sistema de alerta rápido RASFF da Comissão Europeia, quer pelo sistema de notificação obrigatória luxemburguês de recolha e retirada de alimentos.

A garantia foi dada um dia depois do grupo suíço Barry Callebaut ter anunciado a suspensão da produção de chocolate na sua fábrica de Wieze (Bélgica), uma das maiores do mundo, após a descoberta de salmonela. 

"Os nossos peritos em qualidade identificaram a lecitina como a fonte da contaminação", afirmou numa declaração o grupo empresarial que descobriu a presença da bactéria na segunda-feira. 

De acordo com a Agência Federal para a Segurança da Cadeia Alimentar (FASFC) na Bélgica, a fábrica implementou medidas em estreita cooperação com as autoridades belgas para evitar a comercialização de produtos contaminados e proteger os consumidores.


Detetada salmonela numa das maiores fábricas de chocolate do mundo
Depois dos chocolates Kinder na fábrica de Arlon, foi a vez do grupo suíço, um dos líderes mundiais de produtos de cacau e chocolate, suspender a produção na fábrica de Wieze, após ter identificado a presença de salmonela.

O grupo suíço Barry Callebaut emitiu esta sexta-feira um comunicado, citado pela AFP, garantindo que nenhum chocolate contaminado tinha chegado aos consumidores depois de ter sido encontrada salmonela na fábrica de Wieze. 

Segundo a empresa, assim que a bactéria foi descoberta, a produção foi imediatamente interrompida, as autoridades sanitárias foram notificadas e contactados todos os clientes. Na sequência de verificações junto destes, o grupo confirma que "nenhum dos produtos de chocolate afetados" entrou na cadeia que chega aos consumidores. 

O grupo suíço fornece preparações de chocolate a gigantes alimentares como Hershey, Mondelez, Nestlé e Unilever, bem como a profissionais, como pasteleiros. 

As preparações de chocolate podem ser utilizadas para fazer tabletes, bebidas, bolachas, revestimentos de gelados e produtos de padaria. Os produtos passam assim por várias fases antes de chegarem ao consumidor. 

A produção na sua fábrica de Wieze permanece suspensa até novo aviso, disse ainda o grupo, acrescentando que pretende continuar as suas análises "em pormenor". 

Uma vez concluídas estas análises, as linhas de produção da fábrica, situada cerca de 30 quilómetros a noroeste de Bruxelas, serão lavadas e desinfetadas antes que a produção possa ser retomada. 


Salmonela. Fábrica belga da Ferrero reabre para período de teste de três meses
A fábrica, que tinha sido encerrada em abril devido a produtos Kinder contaminados, vai retomar a produção com algumas condições.

A presença de salmonela foi detetada na segunda-feira, num lote da instalação da Wieze. O grupo suspendeu imediatamente a produção e na quinta-feira, anunciou a suspensão da atividade. Os peritos de qualidade identificaram a lecitina como a fonte da contaminação. 

Um porta-voz do grupo disse à AFP que a maioria dos produtos contaminados ainda se encontravam na fábrica, mas que estava ser contactado cada um dos clientes, como precaução e de forma a garantir que não houvesse "contaminação a nível do consumidor". 

No Luxemburgo, não foram detetados casos de salmonela potencialmente ligados a esta contaminação, mas autoridades estão a acompanhar de perto a situação, garante a Segurança Alimentar.

 A descoberta de salmonela na fábrica do grupo Barry Callebaut ocorre semanas depois do caso de chocolates contaminados com salmonela numa fábrica do grupo italiano Ferrero, o fabricante de chocolates Kinder, em Arlon no sul da Bélgica. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas