Escolha as suas informações

Luxemburgo. Mais de 63% das emissões de CO2 provenientes do tráfego rodoviário
Sociedade 2 min. 09.10.2018

Luxemburgo. Mais de 63% das emissões de CO2 provenientes do tráfego rodoviário

Luxemburgo. Mais de 63% das emissões de CO2 provenientes do tráfego rodoviário

Foto: Luxemburger Wort/Anouk Ant
Sociedade 2 min. 09.10.2018

Luxemburgo. Mais de 63% das emissões de CO2 provenientes do tráfego rodoviário

Um relatório divulgado esta segunda-feira pelo executivo luxemburguês divulga números preocupantes em relação à poluição rodoviária no Grão-Ducado.

O ministério do desenvolvimento sustentável divulgou esta segunda-feira um relatório relativo às emissões de dióxido de carbono (CO2) para a atmosfera no Luxemburgo. Os dados surgem no mesmo dia em que os ministros do Ambiente da União Europeia se reúnem no Grão-Ducado para debater o tema

Segundo a RTL, uma das conclusões mais alarmantes do estudo é a de que entre 63 e 65% das emissões de gases poluentes para a atmosfera são oriundas do tráfego rodoviário. Ainda para mais, estes indicadores não incluem a circulação de veículos de transporte de mercadorias. Esta é, aliás, uma tendência em crescendo desde 2013, tanto no Luxemburgo como na Europa no geral. 

A grande maioria da população no Grão-Ducado possui pelo menos um carro e todos os dias milhares de transfronteiriços circulam pelo país, como trabalhadores ou residentes, dois fatores que explicam a elevada taxa de emissões de gases poluentes.

O ministério luxemburguês já pediu, entretanto, à União Europeia a introdução de nova legislação no que respeita às emissões produzidas por carros, carrinhas e camiões e estabeleceu metas de redução de emissões até 2020. O tram, que já começou a circular na Cidade do Luxemburgo, pretende também ajudar a reduzir o número de carros e a consequente poluição.

Em abril de 2018, um estudo da Agência Ambiental Europeia indicava que o Grão-Ducado estava acima da média europeia no que respeita às emissões de CO2 em veículos novos ligeiros de transporte de passageiros. Em 2016, as emissões de gases poluentes em novos carros vendidos no Luxemburgo era de 126 gramas por quilómetro, mais do que a média europeia (118g/km). No que respeita a este indicador, Portugal foi o mais bem comportado (104,7g/km).

Mas países como a Suíça (134g/km), Estónia (133,9g/km) e Lituânia (128,9g/km) ficaram ainda pior na figura no que toca à poluição no geral. Apesar de não pertencer à União Europeia, a Noruega foi, sem surpresas, o país mais verde.

Luxemburgo com má fama na União Europeia

Em 2015 e 2016, o Luxemburgo foi considerado o país menos amigo do ambiente entre os Estados-membros da União Europeia no que toca ao uso de energias renováveis.

De acordo com os números do Eurostat, o Luxemburgo está no fim da tabela com uma cobertura de cerca de 5% no que respeita às energias renováveis, ainda muito longe da meta estabelecida para 2020 (10%).

A longo prazo, o país ambiciona equiparar-se a nações como a Costa Rica ou a Islândia, com uma cobertura de quase 100% no que respeita às energias renováveis. Segundo o executivo grão-ducal, o uso de energia eólica triplicou desde o início do mandato, sendo que o aproveitamento de energia solar duplicou no mesmo período.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Luxemburgo e Lituânia assinam acordo pioneiro sobre energias renováveis
O Luxemburgo e a Lituânia assinaram hoje um acordo sobre energias renováveis, o primeiro do género a ser assinado entre dois Estados da União Europeia (UE). Trata-se de um acordo que permitirá, na prática, à Lituânia vender parte da energia produzida através de fontes renováveis ao Luxemburgo. O objetivo é que o Grão-Ducado consiga cumprir a sua meta comunitária de produção de renováveis.
O Grão-Duque, o ministro da Economia, Etienne Schneider, e o ministro dos Negócios Estrangeiros, Jean Asselborn, deslocaram-se à Lituânia para uma visita oficial de três dias.
Eurobarómetro: Luxemburgo sente-se mais europeu do que qualquer outro país do bloco
A Comissão Europeia divulgou hoje o seu relatório nacional sobre o Luxemburgo, com alguns resultados interessantes. O relatório que inquiriu 56% de luxemburgueses e 44% de cidadãos de outros Estados-membros da União Europeia (EU) residentes no Grão-Ducado, predominantemente portugueses e franceses, procurou reunir a opinião pública sobre a União Europeia.