Escolha as suas informações

Luxemburgo entre os países da UE que menos usam fontes de energia renováveis para aquecer a casa
Sociedade 29.12.2020 Do nosso arquivo online

Luxemburgo entre os países da UE que menos usam fontes de energia renováveis para aquecer a casa

Luxemburgo entre os países da UE que menos usam fontes de energia renováveis para aquecer a casa

Foto: Shutterstock
Sociedade 29.12.2020 Do nosso arquivo online

Luxemburgo entre os países da UE que menos usam fontes de energia renováveis para aquecer a casa

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Grão-Ducado surge no fundo da tabela, juntamente com os restantes países do chamado "Benelux". Portugal está entre os dez estados que mais recorrem às renováveis

Na hora de escolher as fontes energéticas para aquecer, ou refrescar, as casas e outros edifícios e conter os rigores do clima, o Luxemburgo é um dos países da União Europeia (UE) que menos recorre às renováveis. 

Na realidade, e segundo o relatório do Eurostat, publicado esta terça-feira, 29 de de dezembro, o Grão- Ducado aparece no fundo da tabela, juntamente com a Bélgica, os Países Baixos e a Irlanda no que se refere ao recurso a energias renováveis para climatizar os espaços, desde casas a hospitais passando por escolas ou por processos industriais de arrefecimento.


Poluição do ar põe Luxemburgo em alerta laranja
As pessoas com doenças cardiovasculares ou respiratórias devem ter cuidados especiais. Além disso, os cidadãos são aconselhados a deixar o carro em casa e a utilizar os transportes públicos, a partilhar viaturas e a não acenderem a lareira.

De acordo com o gabinete de estatísticas europeu, que se reporta a dados de 2019, "entre os Estados-Membros da UE, a quota de energia proveniente de fontes renováveis para aquecimento e arrefecimento representa mais de metade na Suécia (66,1%), Letónia (57,8%), Finlândia (57,5%) e Estónia (52,3%)".

No outro extremo, estão os estados "com uma quota de energia proveniente de fontes renováveis, para o mesmo fim, inferior a 10%". Ou seja, Irlanda (6,3%), Países Baixos (7,1%), Bélgica (8,3%) e Luxemburgo (8,7%).

Portugal encontra-se entre os 10 países que mais usam as renováveis como fonte de energia para a climatização dos edifícios, surgindo em sétimo lugar a contar do topo da tabela, com uma quota de 41,6% de fontes renováveis no aquecimento ou arrefecimento das estruturas. 

No ano a que se referem os dados agora publicados, 2019, a União Europeia registou no seu conjunto um aumento do peso das fontes renováveis na energia para climatização dos espaços. A quota passou de 21.2%, em 2018, para 22.1%, em 2019.

Considerando também os países fora da UE, a Islândia é aquele que mais usa as fontes renováveis para aquecer as casas, que representam 79,4% do total de fontes de energia utilizadas para esse fim. 




Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O Grão-Ducado quer atingir os 11% de energia renovável até final de 2020. Pactos com os países bálticos, fomento da produção nacional e um novo imposto sobre o CO2 são algumas das medidas para lá chegar.
O Luxemburgo e a Lituânia assinaram hoje um acordo sobre energias renováveis, o primeiro do género a ser assinado entre dois Estados da União Europeia (UE). Trata-se de um acordo que permitirá, na prática, à Lituânia vender parte da energia produzida através de fontes renováveis ao Luxemburgo. O objetivo é que o Grão-Ducado consiga cumprir a sua meta comunitária de produção de renováveis.
O Grão-Duque, o ministro da Economia, Etienne Schneider, e o ministro dos Negócios Estrangeiros, Jean Asselborn, deslocaram-se à Lituânia para uma visita oficial de três dias.