Escolha as suas informações

Luxemburgo é um dos países da UE com mais abandono escolar
Sociedade 3 min. 24.05.2022 Do nosso arquivo online
Educação

Luxemburgo é um dos países da UE com mais abandono escolar

Educação

Luxemburgo é um dos países da UE com mais abandono escolar

Foto: Gerry Huberty
Sociedade 3 min. 24.05.2022 Do nosso arquivo online
Educação

Luxemburgo é um dos países da UE com mais abandono escolar

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Mas também é aquele onde mais alunos têm o ensino superior.

O Luxemburgo está acima da meta definida pela União Europeia (UE) para 2030 no que respeita à população que possui o ensino superior ou terciário. Mas em relação à meta da UE para redução do abandono escolar o Grão-Ducado ainda está no grupo dos países com pior desempenho. Os dados são de dois estudos publicados esta semana, pelo Eurostat.

Um deles, divulgado esta terça-feira, mostra que, no que se refere à frequência do ensino superior, o Luxemburgo está no topo, tendo 62,6% da sua população com idades entre os 23 e os 34 anos formação académica superior completa. Esta percentagem coloca o país muito acima dos 41,2% de média da UE atingidos em 2021 e também da meta definida para 2030 de 45%.


Ensino superior. Cerca de 80% dos estudantes no Luxemburgo prosseguem os estudos no estrangeiro
Os países do Benelux - Bélgica, Holanda, Luxemburgo - e os Estados Bálticos - Estónia, Letónia e Lituânia - assinaram esta semana um tratado que reconhece de forma mútua e automática os diplomas do ensino superior.

Além do Luxemburgo, também a Irlanda, o Chipre, a Lituânia, os Países Baixos, a Bélgica, a França, a Suécia, a Dinamarca, a Espanha, a Eslovénia, Portugal e a Letónia já cumpriram a meta, com percentagens a oscilar entre os 60% (Irlanda com 61,7%, Chipre com 58,3% e Lituânia com 57,5%) e os 45,5% (Letónia). Nos Países Baixos, a Bélgica e França os valores estão entre os 55,6% e os 59%, enquanto na Suécia, Dinamarca e Espanha se situam nos 49% e na Eslovénia e Portugal entre os 47% e os 48%.

Em contrapartida, as percentagens mais baixas foram registadas na Roménia (23%), Itália (28%) e Hungria (33%). 

O mesmo estudo do Eurostat, que se reporta a dados de 2021, salienta que os resultados da frequência escolar do último ano revelam, em média, uma clara diferença etária no seio da UE: 37% da população comunitária com idades entre os 25 e os 54 anos tinha um nível de educação superior face a 22% das pessoas com idades compreendidas entre os 55 e os 74 anos, exemplifica o gabinete de estatísticas europeu.

Os países da UE fixaram como objetivo aumentar para 45% até 2030 a percentagem da população da UE, na faixa etária dos 25 aos 34, com ensino superior completo.

Luxemburgo no grupo dos países com mais abandono escolar

Apesar do Luxemburgo ser o melhor país da UE no que toca à frequência académica de nível superior, nas idades mencionadas acima, o mesmo não se pode dizer no caso do abandono escolar.


Luxemburgo com a taxa mais alta de abandono escolar dos últimos cinco anos
A maioria destes alunos eram rapazes, do 9º e 10º ano, e eram repetentes, refere o Ministério da Educação.

O país posiciona-se no grupo dos Estados-membros com mais desistências do ensino, em 11º. lugar e acima do limite traçado pela UE para 2030, de acordo com um estudo também publicado pelo Eurostat.

No Grão-Ducado, a percentagem de "jovens que abandonaram precocemente a escola", entre os 18 e os 24 anos, foi de 9,3% em 2021. Os 27 Estados-membros da fixaram como objetivo reduzir as taxas de abandono escolar precoce para menos de 9% até 2030. 

O país pior classificado nesta matéria é a Roménia, que no último ano teve uma taxa de abandono escolar de 15,3%, seguindo-se Espanha, com 13,3% e Itália, com 12,7%. Ainda assim, estes países viram o abandono precoce do ensino descer entre 2010 e 2021, com a maior queda a verificar-se em Espanha que desceu 15 pontos percentuais, passando de uma taxa de 28,2% para 13,3%.

Em comparação com 2010, no ano de 2021 quase todos os países comunitários reportaram uma menor proporção de abandono escolar precoce, exceto o Luxemburgo, Eslováquia, Suécia, República Checa, Hungria, Bulgária, Polónia e Alemanha, que registaram um pequeno aumento, abaixo de três pontos percentuais. 

Em termos gerais, na última década o abandono precoce da escola pelos alunos com idades entre os 18 e 24 anos diminuiu de forma constante na UE, de 13,8% em 2010 para 9,7% em 2021.

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas