Escolha as suas informações

Luxemburgo é o país onde os turistas menos usam o carro para se deslocar em viagem
Sociedade 27.06.2019 Do nosso arquivo online

Luxemburgo é o país onde os turistas menos usam o carro para se deslocar em viagem

Luxemburgo é o país onde os turistas menos usam o carro para se deslocar em viagem

Foto: Guy Jallay
Sociedade 27.06.2019 Do nosso arquivo online

Luxemburgo é o país onde os turistas menos usam o carro para se deslocar em viagem

Menos de metade das viagens feitas pelos residentes no Grão-Ducado (48%) para férias, negócios ou visitar familiares são feitas de carro.

O Luxemburgo é o país da União Europeia (UE) onde os turistas menos usam o carro para se deslocar em viagem de turismo e um dos Estados-membros onde mais se usa o avião.

Dados publicados hoje pelo Eurostat permitem concluir que menos de metade das viagens feitas pelos residentes no Grão-Ducado (48%) são feitas de carro. O valor contrasta com a Eslovénia, onde 85% se deslocam de carro e com Portugal, onde 80% das viagens de turismo são feitas através daquele meio de transporte.

Já comparando a utilização do avião entre os vários Estados-membros do bloco dos 28, verifica-se que os residentes no Luxemburgo são dos que mais o utilizam. Cerca de 42% de um total de 1,8 milhões de viagens de férias ou de negócios foram feitas através daquele meio aéreo, contra os 3% verificados na Roménia, por exemplo.

Em média, os turistas que residem no Luxemburgo ficam 7,1 noites fora de casa. Mais de 98% das viagens feitas foram para fora do país.

Em toda a UE, foram registadas, nesse ano, quase 1,3 mil milhões de deslocações, a grande maioria (63,5%) por carro e o resto de comboio (10,8%) e de autocarro (5,5%).

Também a nível comunitário, a grande maioria das viagens foram feitas por terra (80,9%), seguindo-se as aéreas (17,4%) e as marítimas (1,7%).


Notícias relacionadas

Estudo. Metade dos europeus planeia viajar já este semestre
Mais de 50% dos europeus inquiridos num questionário realizado pela entidade europeia de turismo sobre viagens em altura de pandemia diz pretender viajar nos próximos seis meses, um terço dos quais já na primavera, e principalmente para lazer.