Escolha as suas informações

Luxemburgo é o país da UE com mais carros por pessoa
Sociedade 4 min. 22.09.2021
Mobilidade

Luxemburgo é o país da UE com mais carros por pessoa

Mobilidade

Luxemburgo é o país da UE com mais carros por pessoa

Foto: Guy Jallay
Sociedade 4 min. 22.09.2021
Mobilidade

Luxemburgo é o país da UE com mais carros por pessoa

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Segundo os dados revelados esta quarta-feira, pelo Eurostat, contribuem para esta posição cimeira do Luxemburgo não apenas os residentes, mas os trabalhadores transfronteiriços que utilizam carros com matrícula do Grão-Ducado.

O Luxemburgo é o país da União Europeia (UE) com mais carros por pessoa a circular no território. Em 2019, existiam 681 automóveis de passageiros por mil habitantes no país, referem os dados divulgados esta quarta-feira, pelo Eurostat.

Estes números consolidam o Grão-Ducado como o Estado-membro da União Europeia que apresenta a maior taxa de veículos automóveis por pessoa, há, pelo menos, 30 anos.

Para esta posição cimeira do Luxemburgo, no que respeita ao volume de tráfego por habitante, contribuirão, diz o gabinete de estatísticas europeu, não apenas os residentes, mas os trabalhadores transfronteiriços que, embora não vivendo no país, utilizam carros com matrícula do Grão-Ducado.


Luxemburgo é dos países da OCDE onde menos se paga para ter carro de luxo
O novo ranking “The Luxury Car Index” é feito com base na comparação dos preços médios de cinco carros de luxo por país.

A seguir ao Luxemburgo, surge a Itália, com 663 carros por mil habitantes, o Chipre, com 645 carros por mil habitantes, e a Finlândia e a Polónia, ambos com 642 carros por mil habitantes. 

No extremo oposto, com as taxas mais baixas de motorização, estão a na Roménia (357 carros), Letónia (381 carros) e a Hungria (390 carros).

O Luxemburgo está também entre os países onde a frota automóvel é mais recente. O Grão-Ducado é o segundo Estado-membro que tem mais veículos com menos de dois anos a circular, representando 23,7% de toda a frota. À frente do Luxemburgo está a Irlanda, com 28,%. Ainda no grupo dos quatro países com percentagens mais elevadas estão a Bélgica e a Dinamarca, que ficam atrás o Grão-Ducado, com uma proporção de carros novos de 22,9% e 22,6%, respetivamente.

A frota de veículos de passageiros mais antiga - com 20 anos ou mais - é a da Polónia (37,9%), seguida da da Estónia (31,5%), Finlândia (26,9%) e Lituânia (22,6%).

Apesar da proporção do número de carros de passageiros por mil habitantes, em termos absolutos, em 2019, o maior número de automóveis foi registado na Alemanha. O país vizinho do Luxemburgo contabilizou quase 48 milhões de automóveis, nesse ano, seguindo-se a Itália, com 40 milhões, e a França, com 32 milhões. 

Já no que respeita aos países que registaram maiores crescimentos da frota automóvel, nos últimos anos, o Eurostat mostra que, entre 2015 e 2019, o maior aumento do número de automóveis de passageiros verificou-se na Roménia (+34%), Lituânia (+20%), Hungria (+19%), Eslováquia e Polónia (este dois últimos com +18% cada).

Carro individual continua a ser o rei da mobilidade na Grande Região

Um estudo do Liser (Instituto de Investigação Sócioeconómica), publicado esta segunda-feira, e citado pelo Luxemburger Wort, revelava que dois terços (66%) dos 4,6 milhões de viagens registadas na Grande Região francófona são feitas de carro. Um número muito acima das deslocações a pé (22%) ou feitas em transportes públicos (9%). 

O mesmo estudo indicava que as viagens multimodais - que combinam a utilização de mais do que um meio de transporte - representam apenas 2% das viagens.


Mais de mil veículos poluentes retirados da estrada no Luxemburgo
Em 2020, os controlos técnicos do Luxemburgo não deram qualquer tolerância aos motores diesel que emitem demasiadas partículas.

Realizado com base numa amostra representativa de cerca de 57.150 pessoas (cerca de 31.000 famílias espalhadas pelo Grão-Ducado, província do Luxemburgo e Lorena do Norte) e embora compile "dados registados entre 2010 e 2019 e ajustados com base na população de 2017", refere o Wort, o inquérito do Liser destaca diferenças significativas ao longo dos anos entre as áreas estudadas, tanto no uso dos transportes como da sua presença no dia a dia das pessoas, consoante a faixa etária.

O estudo "Luxmobil" de 2017, mostra uma mudança nos hábitos dos residentes do Grão-Ducado, com 15% a utilizarem os transportes públicos. Também as bicicletas e os transportes multimodais passaram a ser cada vez mais explorados. 

Já a escolha do meio utilizado para viagens e deslocações reflete-se na idade dos inquiridos: se entre os 18 e os 24 anos, quase metade (46%), afirmou usar o autocarro, transportes combinados ou andar a pé para se deslocar, na faixa dos 50 aos 64 anos, a esmagadora maioria (72%) escolheu o carro como meio de transporte habitual. 

Entre os motivos de deslocação, o trabalho surgiu em primeiro lugar, seguido do lazer, de questões administrativas ou de deslocações relacionadas com a saúde. 

No que respeita ao tempo médio de viagem, na Grande Região foram gastos cerca de 76 minutos (1h16) por dia, para percorrer uma média 42 quilómetros. No caso do Luxemburgo, os dados mostraram um tempo médio de viagem de cerca de uma hora (65 minutos) para uma distância de 31 quilómetros. Destes, salienta ainda o estudo, 11,9 quilómetros correspondiam ao trajeto entre a casa e o trabalho.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Carros, carros e mais carros. O Luxemburgo é o país da União Europeia (UE) com mais automóveis por habitante. Dados referentes a 2018, divulgados agora pelo Eurostat, mostram que o país tem uma média de 676 carros por cada mil habitantes, apresentando o número mais elevado entre todos os países do bloco.
São 670 automóveis por mil habitantes no Luxemburgo, segundo as contas do Eurostat referentes a 2017. No entanto, o gabinete de estatísticas da União Europeia (UE) ressalva que o número pode estar inflacionado pelo elevado número de transfronteiriços que se desloca no país com carros da empresa registados no Grão-Ducado.