Escolha as suas informações

Luxemburgo. Cancro tornou-se principal causa de morte antes da pandemia
Sociedade 09.04.2021 Do nosso arquivo online

Luxemburgo. Cancro tornou-se principal causa de morte antes da pandemia

Luxemburgo. Cancro tornou-se principal causa de morte antes da pandemia

Foto: Chris Karaba/Luxemburger Wort
Sociedade 09.04.2021 Do nosso arquivo online

Luxemburgo. Cancro tornou-se principal causa de morte antes da pandemia

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
Pela primeira vez, em 2019, o cancro tornou-se a principal causa de morte no Luxemburgo.

Em 2019, ano anterior à pandemia de covid-19, 4.120 pessoas morreram no Luxemburgo. Segundo o Ministério da Saúde, as doenças cardiovasculares e o cancro continuam a ser as principais causas de morte. No entanto, pela primeira vez, o cancro tornou-se a principal causa de morte no país. 

Em média,  11 pessoas morreram por dia e 343 por mês, em 2019. Comparando com 2020, 13 pessoas morreram em média por dia (4649 mortes no total). AUmento está diretamente relacionado com o impacto da covid-19 no país. 

A relação entre mulheres (2.043 óbitos) e homens (2.065 óbitos) continua equilibrada. Os homens morreram em média com 73 anos e as mulheres com 81.

93,5% de todas as mortes são devido a doenças, enquanto 6,5% são devido a causas externas. Mais da metade das mortes ocorreu em hospitais (55,4%), um quarto em asilos e 17,4% em casa.

Tanto no Luxemburgo como na União Europeia, as principais causas de morte continuam a ser as doenças cardiovasculares e o cancro.  A diferença em relação a 2019 está no facto de, pela primeira vez, "o número de óbitos por tumores (1.139) é superior ao número de óbitos por doenças do aparelho circulatório (1.137. Isto é, o cancro tornou-se a principal causa de morte, representando 27,6% do total. 

Nos homens, o cancro do pulmão está no topo das causas de morte, com 131 casos em 2019 (em comparação com 88 mortes de mulheres). Entre as mulheres, o cancro de mama resultou em 96 mortes. 


O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.