Escolha as suas informações

Luxemburgo. Automobilistas passaram 118 horas presos no trânsito em 2021
Sociedade 17.02.2022 Do nosso arquivo online
Ranking

Luxemburgo. Automobilistas passaram 118 horas presos no trânsito em 2021

Ranking

Luxemburgo. Automobilistas passaram 118 horas presos no trânsito em 2021

Foto: Guy Jallay
Sociedade 17.02.2022 Do nosso arquivo online
Ranking

Luxemburgo. Automobilistas passaram 118 horas presos no trânsito em 2021

Thomas BERTHOL
Thomas BERTHOL
Em 2021, os automobilistas perderam o equivalente a quase cinco dias em engarrafamentos na capital, segundo o índice de trâfego da empresa TomTom.

De acordo com o ranking estabelecido pelo índice de tráfego TomTom, que analisou o trânisto em 404 cidades do mundo, o Luxemburgo está entra as 100 cidades (98) com mais trânsito. 

A capital do Grão-Ducado está na mesma posição que outras grandes cidades como Nice (96º lugar), Sydney (97), Milão (100) ou Aachen (101). O pódio pertence a Istambul, Moscovo e Kiev.  

De acordo com este indicador, os automobilistas no Luxemburgo passaram 118 horas em engarrafamentos em 2021, ou seja, quase cinco dias à espera que o trânsito fluísse. É uma queda de 44 horas em relação a 2019, incluindo na "rush hour" (hora de ponta), que sofreu uma queda de quase 30% entre 2021 e 2019. Para tal, contribuiu em muito o aumento do teletrabalho generalizado por causa da pandemia. 

Terça-feira é o pior dia nas estradas do Grão-Ducado

Segundo o estudo, a terça-feira, entre as 17h e as 18h, é o dia e horário com mais circulação de carros nas estradas do Luxemburgo. O pior dia em termos de trâfego, no ano passado, foi a 14 de julho. Um feriado na vizinha França foi o suficiente para trazer mais pessoas às estradas e aumentar o congestionamento. 

A nível mundial, o índice aponta para uma recuperação do tráfego em 2021. O nível de congestionamento em 2021 foi de 28%, ou seja, três pontos percentuais acima dos registados em 2020, o ano de início da pandemia. 

Para avaliar o custo ambiental do aumento do congestionamento e do seu efeito nas emissões em quatro capitais europeias, a empresa fabricante de sistemas de navegação para automóveis usou dados de tráfego e uma metodologia desenvolvida por académicos da Graz University of Technology, na Áustria.

Em Londres, 14,8Mt (megatoneladas) de CO2 foram resultado do tráfego rodoviário em 2021, dos quais 15% (2,2Mt) registaram-se em consequência do congestionamento automóvel na cidade. 

Em Paris, Berlim e Amsterdão, o custo do congestionamento automóvel nas emissões de CO2 é, respetivamente, 13,5% (1,85Mt), 10,5% (0,42Mt) e 7% (0,06Mt). 


O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.