Escolha as suas informações

Luxemburgo. 85% dos residentes concorda com a eutanásia
Sociedade 2 min. 20.01.2020

Luxemburgo. 85% dos residentes concorda com a eutanásia

Luxemburgo. 85% dos residentes concorda com a eutanásia

Foto: Shutterstock
Sociedade 2 min. 20.01.2020

Luxemburgo. 85% dos residentes concorda com a eutanásia

Uma prática médica legalizada mas que ainda é "tabu",por isso a população tem de estar melhor informada. Em 10 anos, 71 pessoas recorreram à eutanásia no país.

A grande maioria dos residentes no Grão-Ducado concorda com a Eutanásia e a assistência ao suicídio, porém gostaria de estar mais informado sobre a lei.

Estes são duas das conclusões do inquérito sobre esta prática médica permitida no Grão-Ducado que hoje foram reveladas pela Comissão Nacional de Controle e Avaliação da Lei sobre a Eutanásia e Assistência ao Suicídio como uma das celebrações do 10º aniversário da entrada em vigor da legislação.

Nestes 10 anos, 71 pessoas recorreram à eutanásia no Grão-Ducado.  Foram 37 homens e 34 mulheres, a maioria entre os 60 e os 79 anos (63 casos) e com mais de 80 anos (23), de acordo com o relatório de 2018 desta comissão.  O hospital (40 casos) e o domicílio (20) foram os principais locais onde a morte assistida aconteceu.

Mais e melhor informação

71 casos que representam “cerca de 0,27% das mortes”, sublinhou Lotty Prussen, presidente da Comissão Nacional de Controle e Avaliação da Lei sobre Eutanásia e Assistência ao Suicídio, citada pelo L’Essentiel.

Em comparação com a Bélgica e a Holanda, onde a morte assistida também está legalizada, os números do Luxemburgo são reduzidos. “É uma taxa muito baixa, na Bélgica é de 1% a 2% e na Holanda de 5% a 6%”, realçou.

Para esta responsável é necessário informar melhor os pacientes e a população em geral sobre “esta legislação” e as opções que existem quando se fala em “chegar ao fim da vida”.

A verdade é que para Lorry Prussen, ainda existe um tabu sobre a eutanásia. Por isso, um dos objetivos da sua comissão é conseguir pôr as pessoas a falar sem medo e livremente sobre a eutanásia, indica a RTL.

De acordo com os resultados do inquérito 79% dos residentes do Luxemburgo consideram importante conhecer um médico disposto a praticar a eutanásia e 78% são favoráveis a uma consulta especial para falar sobre o fim da vida.

Nove em cada 10 concordam

Mesmo assim, e de acordo com os resultados do inquérito a comissão sabe que a maioria da população concorda com a morte assistida.

Quase nove em cada 10 residentes assim o declararam. Destes 85% de inquiridos, 44% consideram que a lei é positiva pois evita sofrimento e 36% coloca em primeiro lugar a vontade do paciente, de acordo com os dados citados pelo L’Essentiel.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Luxemburgo. Há portugueses que escolhem a eutanásia
Há dez anos que o Luxemburgo permite colocar um ponto final a uma vida de “sofrimento insuportável” com o apoio médico. Entre estes doentes há portugueses. Legalização da eutanásia é votada dia 20 de fevereiro em Portugal.
Luxemburgo regista 34 casos de morte assistida
Desde que a lei entrou em vigor em janeiro de 2009, há registo de 34 casos de morte assistida, segundo a Comissão Nacional de Controlo e Avaliação da lei. Portugal poderá ser o próximo país a despenalizar a morte assistida.