Escolha as suas informações

Lares de idosos do Luxemburgo vão voltar a aceitar visitas
Sociedade 29.04.2020

Lares de idosos do Luxemburgo vão voltar a aceitar visitas

Lares de idosos do Luxemburgo vão voltar a aceitar visitas

Foto: dpa-tmn
Sociedade 29.04.2020

Lares de idosos do Luxemburgo vão voltar a aceitar visitas

Manuela PEREIRA
Manuela PEREIRA
Luxemburgo vai começar a testar a população em grande escala a partir de 19 de maio.

As visitas de externos aos lares de idosos estão proibidas desde o dia 13 de março, mas vão voltar a ser permitidas. A garantia foi dada pela ministra da Família, Corinne Cahen, sem avançar no entanto uma data concreta para o levantamento da interdição das visitas. 

O acesso a estes centros vai fazer-se através de medidas de restrição de forma a proteger estas pessoas de risco para a covid-19. As visitas devem ser programadas previamente, através de marcação. Tanto os idosos como os visitantes deverão usar máscara. E apenas os jovens com mais de 12 anos não  poderão efetuar visitas, bem como todas as pessoas que não estejam infetadas com a covid-19. 

O governo anunciou na terça-feira, 28 de abril, que o Luxemburgo vai começar a testar a população em grande escala já a partir de 19 de maio, como forma de prevenir uma possível segunda vaga. Já todos os residentes e trabalhadores nos lares de idosos começaram a ser testados à covid-19. Um rastreio sistemático que arrancou na semana passada.


Covid-19. Como o governo vai testar toda a população do Luxemburgo
A ministra da Saúde explicou esta manhã os diferentes testes que irão ser realizados no país para analisar todos os habitantes do Luxemburgo e os transfronteiriços.

Quatro lares já foram testados. Entre 1.073 pessoas, incluindo os funcionários desses centros, registaram-se 14 casos de infeção, dos quais nove em funcionários.    

Até à data, 29 pessoas morrem nos lares de idosos do país, vítimas da covid-19, desde o início da pandemia no país, em finais de fevereiro. Segundo os números recentes, existem 90 infetados nestes centros. Outras 41 pessoas foram consideradas curadas. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas