Escolha as suas informações

Jovens estão numa relação com as notícias, mas… “é complicado”
Sociedade 1 7 min. 25.07.2019

Jovens estão numa relação com as notícias, mas… “é complicado”

Sociedade 1 7 min. 25.07.2019

Jovens estão numa relação com as notícias, mas… “é complicado”

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
Fomos para as ruas da cidade do Luxemburgo perceber de que forma é que os jovens consomem as notícias hoje em dia.

Quem já nasceu no século XXI faz parte de uma cultura em que a tecnologia está completamente enraizada. Que é como quem diz “nasceram com um telemóvel nas mãos”. O contacto com o mundo digital desde cedo alterou a relação dos mais novos com a informação.

Fomos para a rua tentar perceber como jovens entre os 10 e os 18 anos, que vivem ou estão de passagem pelo Luxemburgo, procuram as notícias, se as escolas incentivam essa busca, se os jornais estudantis correspondem ao que alunos querem saber ou se a realidade do mundo é coisa que não interessa aos “millennials”.

Entre os entrevistados, são poucos os que se interessam pelo jornal da escola, esperar pela publicação de um jornal parece uma eternidade, as redes sociais também servem de motor de busca para a informação e ainda há quem ligue a televisão para ver os noticiários com os pais.

Isabela Machado e o irmão Guilherme Scalquette
Isabela Machado e o irmão Guilherme Scalquette
Foto: Sibila Lind

Isabela Machado, 13 e irmão Guilherme Scalquette, 15 - brasileiros

Costumam ler notícias?
Guilherme: Costumo ler notícias mais voltadas para a política. Não leio nada de desporto, não é do meu interesse. Também me interesso por questões militares. Por exemplo, como os Estados Unidos estão a lidar com a situação no golfo de Omã (os navios que foram atacados).

Isabela: Eu quase não leio notícias e, quando leio, não são assuntos sérios. Acho que ainda não é o tempo para me interessar.

A vossa escola tem jornal?
G.: Não, mas os professores incentivam a que os alunos leiam jornais e discutam. Nas aulas de sociologia e filosofia, pedem-nos para levar uma notícia para a aula. É bem interessante.

Se houvesse um jornal, quais os temas que gostariam de ver abordados?
G.: Temas que os adolescentes gostam, como desporto, que a maior parte vai procurar. Mas política, nacional e internacional, é importante ter também.

I.: Seria importante colocar vários assuntos. Porque, por exemplo, eu não me interesso por desporto ou política. Se fosse um jornal só com esses temas, eu não leria. Assuntos não tão sérios, mas sem serem disparatados.

Vejo mais coisas na internet. O papel é mais complicado, tem que se esperar chegar em casa ou ir comprar nas bancas.

Onde procuram a informação? Em papel ou na internet?
G.: Vejo mais coisas na internet. O papel é mais complicado, tem que se esperar chegar em casa ou ir comprar nas bancas. Com acesso ao jornal digital, já vejo no telemóvel.

I.: Pela internet, sobretudo. O papel demora muito. Se alguém me diz que vai acontecer alguma coisa, é muito mais fácil pesquisar logo e ficar a par, do que esperar até sair numa revista, num jornal, na televisão.  

Pesquisam nas redes sociais ou nos sites de notícias?
G.: Essa é a outra questão. Quando assinamos os sites de notícias até recebemos notificações. Mas tem muitos políticos e pessoas desse meio que usam muito o Twitter para passar mensagens. Praticamente, se uma pessoa não tiver o Twitter não está bem informado. Em 2016, o Donald Trump anunciou o ataque à Síria no seu perfil.

Mathew Khairallah, 16 – francês com pais libaneses

Lês jornais?
Sim, mas não em papel porque é complicado. Vejo a versão online quando estou no autocarro ou no intervalo da escola.

Onde procuras as notícias?
Quando estou realmente interessado vou ao Google News e escrevo o assunto que me interessa. Acho que é mais prático assim. Também sigo as redes sociais dos sites que me interessam.

O que esperas de um jornal escolar?
Quando estou realmente interessado vou ao Google News e escrevo o assunto que me interessa. Acho que é mais prático assim. Também sigo as redes sociais dos sites que me interessam. 

O que gostarias de ler?
Notícias que são direcionadas para adolescentes, por exemplo, algo que os preocupe, como a reforma escolar ou apoio para realizar os exames. Temas que estejam relacionados com as suas vidas.

Gosto de saber o que se passa perto da minha cidade.  

Que assuntos te interessam quando lês notícias?
Gosto de ler sobre tecnologia e acho que é um tema importante para nós. Faço parte de uma geração que praticamente já nasceu com um computador, por isso é importante aprender sobre o assunto, saber como funciona, o que há de novo. Também busco por notícias de música. E gosto de saber o que se passa perto da minha cidade. As notícias normalmente são sobre acontecimentos longe de mim. Por isso, quando falam de algo que me está próximo, interesso-me.

Patrick Bessa Ribeiro, 18 – lusodescendente

Existe um jornal feito por alunos, na tua escola? 
Sim, há. São alguns estudantes que se juntam e fazem-no nos tempos livres.

Costumas lê-lo?
Sim, de vez em quando.

O que esperas de um jornal escolar?
Se for um jornal que não sai com tanta frequência, talvez a história da escola para os estudantes que vêm de longe. Como temos muitas escolas, também gostava de saber o que se passa nelas.

Mais focado na comunidade escolar, então. E também notícias da região?
Não, acho que não.

Não achas que faz falta?
Para isso temos os outros jornais, já se informa bem.

Lês esses jornais?
Não muito. Prefiro ler no telemóvel.

Que tipo de notícias mais procuras?
Mais do dia-a-dia. Se aconteceu alguma coisa com os autocarros, porque é onde passo mais tempo aqui na cidade.

Usas as redes sociais para estar informado?
Sim, o Facebook. Quer queiras ou não, passas sempre pelas notícias porque, se acontece alguma coisa, vai logo para as redes sociais.



Zacha Arcadias, 13, e irmã Maée Arcadias, 10 - luxemburguesas

Costumam ver notícias?
Zacha: Sim, no telefone e na televisão.

Têm um jornal na escola?
Z.: Temos um jornal e rádio também.

Costumam lê-lo?
Z.: Sim, costumamos.

Que notícias encontram no jornal?
Z.: Sobretudo sobre os resultados dos exames, as atividades escolares.

E o que gostariam de ler?
Z.: Música, principalmente. Mas também sobre filmes e os atores.

Evito ver redes sociais porque sei que há muita coisa que é escrita que não é verdade.    

Em casa, costumam falar com os pais sobre a atualidade?
Z.: Falamos regularmente. A minha mãe lê muitos jornais e está sempre a explicar-nos o que leu e o que se passa.

Têm redes sociais... Instagram, Facebook…?
Z.: Não. Evito ver redes sociais porque sei que há muita coisa que é escrita que não é verdade.

Corinne Rodrigues
Corinne Rodrigues
Foto: Sibila Lind

Corinne Rodrigues, 14 – lusodescendente

Costumas ler notícias?
Não, não leio.

Na tua escola, existe um jornal feito por alunos?
Não, só os jornais normais.

Em casa, costumas ver notícias com os pais?
Às vezes, quando estão a ver, eu vejo com eles.

Confias nas redes sociais como fonte de informação?
Algumas coisas acho que são verdade, mas há outras em que não acredito muito.

Normalmente, procuro mais crimes que aconteceram.

Porquê?
Coisas que eles (jornais) contam que não me parecem reais. Parece impossível terem acontecido.

Por que temas te interessas mais? Desporto, Moda, filmes?
Normalmente, procuro mais crimes que aconteceram.

Que tipo de crimes?
Pessoas que foram encontradas mortas.

Chala, 19 - luxemburguês

Existe um jornal na tua escola?
Não é relevante, sai duas vezes por ano.

Aborda que assuntos?
As aulas, projetos escolares… é mais por aí.

O que esperas ler num jornal escolar?
Não o leio.

Mas lês as notícias mais em papel ou online?
Acho que leio mais online.

Mas também compras (tem duas revistas na mão).
Sim, sim, compro.

Que temas gostarias de ver mais nas notícias?
Para o meu espectro de interesses, penso que está mais ou menos coberto. Política ou assuntos nacionais. De resto, há revistas especializadas.

Libdirir Rami, 14 – belga

A tua escola tem um jornal para os estudantes?
Não, mas gostava que houvesse. E que fosse um jornal diferente dos outros, mais focado na escola.

Lês as notícias em papel ou no telemóvel?
Apesar de ler em papel, vejo mais no telemóvel porque acho que são mais claras.

Também gosto de ficar a par de notícias sobre droga. Acho esse assunto interessante.  

E quais são os temas que te interessam?
Gosto de ler sobre futebol, sobretudo o campeonato africano. Também gosto de ficar a par de notícias sobre droga. Não sou um drogado, mas se a polícia apreendeu droga, acho esse assunto interessante.

Amalia Bieliczky, 15 / Heloise Laguibre, 15 / Charlotte Calvao, 14 - luxemburguesas

Costumam ler as notícias?
Amalia: Não.

Heloise: Não.

Charlotte: Às vezes.

Têm um jornal escolar?
A.: Sim, sim.

Costumam lê-lo?
A. /H./ C.: Não.

Se querem procurar notícias, costumam ler nos jornais ou procuram no telefone?
C.: Eu vou ter com os meus pais.

A: No telefone.

H.: No telefone.

Onde? Nas redes sociais?
A: Sim, nas redes sociais.

Em casa, falam com os vossos pais sobre o que se passa no mundo?
A. /H./ C.: Sim, falamos.