Escolha as suas informações

Jovem historiador pede a associações portuguesas no Luxemburgo para consultar arquivos e documentos
Sociedade 29.05.2015 Do nosso arquivo online
Tese sobre a imigração portuguesa

Jovem historiador pede a associações portuguesas no Luxemburgo para consultar arquivos e documentos

O jovem investigador está a pedir à comunidade portuguesa para o ajudar a encontrar antigos arquivos de associaçóes já extintas e de lhe facultar o acesso para consulta
Tese sobre a imigração portuguesa

Jovem historiador pede a associações portuguesas no Luxemburgo para consultar arquivos e documentos

O jovem investigador está a pedir à comunidade portuguesa para o ajudar a encontrar antigos arquivos de associaçóes já extintas e de lhe facultar o acesso para consulta
Foto:Gerry Huberty
Sociedade 29.05.2015 Do nosso arquivo online
Tese sobre a imigração portuguesa

Jovem historiador pede a associações portuguesas no Luxemburgo para consultar arquivos e documentos

Um jovem investigador luxemburguês está a apelar ao movimento associativo português do Luxemburgo para o auxiliarem no acesso a antigos arquivos e documentos de associações já extintas ou ainda em actividade.

Um jovem investigador luxemburguês está a apelar ao movimento associativo português do Luxemburgo para o auxiliarem no acesso a antigos arquivos e documentos de associações lusas já extintas ou ainda em actividade.

Thierry Hinger tem 33 anos e é doutorando na Universidade do Luxemburgo e membro do “Centro de Documentação sobre as Migrações Humanas” (CDMH) de Dudelange, e está a preparar uma tese de dissertação em História Contemporânea sobre a imigração portuguesa no Luxemburgo.

O trabalho de Thierry Hinger trata da política de emigração de Portugal e das associações portuguesas no Grão-Ducado desde a Revolução dos Cravos até ao fim do século XX.

"No entanto, como um número expressivo de associações portuguesas dos anos de 1970 a 1980 já não existe hoje em dia, torna-se difícil encontrar documentos que testemunhem a actividade dessas associações e das suas relações com Portugal, por exemplo com os ministérios em Lisboa, a embaixada e o consulado", diz Thierry. 

"Quero pedir a ajuda da comunidade portuguesa para me ajudar neste trabalho de investigação porque se trata de um assunto comum da História do Luxemburgo e de Portugal, nomeadamente a imigração portuguesa no Luxemburgo", diz Thierry.

O jovem investigador pediu ao CONTACTO para, através das suas páginas, apelar aos portugueses do Luxemburgo para que caso existam pessoas privadas, clubes ou associações que tenham na sua posse documentos e arquivos de actividades de associações portuguesas no Luxemburgo, já extintas ou ainda em actividade, para o contactarem e facultaram o acesso e consulta dessa documentação.

Para ajudar este jovem investigador no seu trabalho de tese, pode contactar Thierry Hinger pelo tel. (00352) 621468098 (ou via email: thierry.hinger@uni.lu). 


Notícias relacionadas

O historiador luxemburguês Thierry Hinger passou quatro anos a vasculhar os arquivos das associações portuguesas no Luxemburgo e do Instituto Diplomático, em Lisboa, para escrever a tese de doutoramento. Um estudo que documenta a história das associações portuguesas no Luxemburgo e as políticas de emigração após a revolução de 1974.
O historiador luxemburguês Thierry Hinger assina uma tese sobre as políticas de emigração e as associações portuguesas no Luxemburgo.
Há mais emigrantes qualificados a chegar ao Grão-Ducado e já não vêm só das tradicionais regiões de partida, o interior norte e centro do país. Em contrapartida, a precariedade aumentou nos últimos anos e há muitos a viver situações difíceis, alertam os autores do estudo Remigr, que traça um retrato da nova vaga de imigração portuguesa no Luxemburgo.
Illustration - Vote des etrangers - Photo : Pierre Matge
A investigadora luxemburguesa Aline Schiltz estuda a emigração portuguesa para o Luxemburgo desde 2003. A viver entre Lisboa e o Grão-Ducado, a geógrafa, de 35 anos, é autora de vários estudos sobre os portugueses, incluindo uma tese de doutoramento em que analisa a mobilidade entre os dois países. Diz que o Luxemburgo se “lusificou” e que a emigração portuguesa levou à criação de um “espaço transnacional” que podia servir de modelo para uma Europa sem fronteiras.
O CONTACTO festeja este ano o seu 45° aniversário. O jornal foi fundado em Janeiro de 1970, para informar a comunidade portuguesa no Luxemburgo. Ao comemorarmos esta data, surgiu-nos uma questão natural. Em que ano exacto situar o início da emigração portuguesa para o Luxemburgo?
Em Junho de 1965 uma missa na catedral do Luxemburgo juntou meio milhar de portugueses para celebrar pela primeira vez o Dia de Portugal no Grão-Ducado.
Depois disso houve um almoço eu ma festa. Foi o primeiro evento organizado pela comunidade portuguesa no Grão-Ducado de que há registo