Escolha as suas informações

Há um novo vírus suíno a ameaçar o mundo
Sociedade 2 min. 30.06.2020

Há um novo vírus suíno a ameaçar o mundo

Há um novo vírus suíno a ameaçar o mundo

AFP
Sociedade 2 min. 30.06.2020

Há um novo vírus suíno a ameaçar o mundo

A China identificou uma nova estirpe da gripe suína capaz de originar uma pandemia que já infetou um em cada 10 trabalhadores do setor.

Identificada inicialmente em porcos, na China, a nova variante da gripe suína "tem todas as características essenciais de candidato a vírus pandémico", segundo um estudo publicado por cientistas chineses e britânicos na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS) que mostra que o novo influenza já infetou um em cada 10 trabalhadores de gado suíno da China.

Citada em todo o mundo, a publicação científica não identifica vítimas mortais nem traça um quadro dos sintomas e complicações desenvolvidas pelos pacientes infetados pelo chamado G4 EA da H1N1. Em entrevistas à BBC, um dos autores do estudo esclarece porém que, embora esta nova estirpe da gripe suína esteja numa fase embrionária, "não devemos ignorá-la". 

"Extremamente infecioso"

Motivo de "preocupação", o vírus que já circula em porcos desde 2016 foi identificado durante um programa de monitorização desenvolvido para vigiar a gripe suína de 2009. Absorvida pela primeira pandemia de coronavírus, a Organização Mundial de Saúde já reagiu para garantir uma leitura atenta da pesquisa que alerta para o risco de mutação e transmissão humana do novo vírus de origem animal. 

As experiências realizadas em furões, cujos sintomas são semelhantes aos dos humanos, mostram que o G4 é extremamente infecioso. Além disso, julga-se ser de fácil replicação nas células humanas. 

“Este trabalho chega como um lembrete salutar de que estamos constantemente em risco de surgirem novos patógenos zoonóticos [que passam de animais para humanos] e que os animais de criação, com os quais os seres humanos têm maior contacto do que com a vida selvagem, podem atuar como fonte de importantes vírus pandémicos“, disse o professor James Wood, chefe do departamento de Medicina Veterinária da Universidade de Cambridge.

Prevenir 

Num equilíbrio difícil entre o alarmismo e a despreocupação, os investigadores convidam os líderes mundiais a prevenir uma eventual propagação em grande escala do novo vírus da gripe suína com medidas de higiene e segurança alimentar que travem a potencial transmissão do vírus dos animais para os humanos. 

A transmissão do vírus dos porcos para os humanos pode “levar a infeção severa e mesmo morte”, sublinha o estudo, argumentando por isso um incremento da vigilância e controlo do vírus.“É causa de preocupação que a infeção humana no vírus “G4” comece a ter uma maior adaptação humana e um aumento do riso de pandemia humana”. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Dois cães, um gato e um tigre infetados com novo coronavírus
A identificação de vários animais infetados com o novo coronavírus mostra que outras espécies podem ser contaminadas pelo ser humano. Organização Mundial de Saúde Animal diz que não há "justificação para medidas em relação aos animais de estimação" mas recomenda que pessoas doentes evitem contaminar animais de estimação.
“Este coronavírus contagia muito mais do que os anteriores”
O investigador português Vítor Borges, do INSA que está a colaborar com o LNS do Luxemburgo explica em entrevista exclusiva como o vírus da pandemia se comporta e altera para continuar a contaminar o planeta. Uma investigação fundamental para a criação da vacina eficaz.
O investigador português Vítor Borges do INSA
Da peste negra ao coronavírus, passando pela gripe espanhola
O governo chinês introduziu o uso de uma aplicação para telemóvel que indica a ficha de quarentena: verde para quem pode sair às ruas, amarelo para quem deve ficar isolado por uma semana e, vermelho, para as pessoas que têm de ficar duas semanas isoladas.
a