Escolha as suas informações

Governo não descarta licença em caso de aborto espontâneo
Sociedade 21.04.2021

Governo não descarta licença em caso de aborto espontâneo

Governo não descarta licença em caso de aborto espontâneo

Foto: Shutterstock
Sociedade 21.04.2021

Governo não descarta licença em caso de aborto espontâneo

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Uma em cada seis mulheres já sofreu um aborto espontâneo no Luxemburgo.

O Governo não exclui a hipótese de introduzir uma nova licença para as mulheres que sofreram um aborto espontâneo. A legislação atual não prevê dias de licença para os pais que se deparam com esta situação, a não ser que o médico emita um certificado de baixa médica.

Numa resposta parlamentar da deputada socialista, Francine Closener, o ministro do Trabalho, Dan Kersch, diz agora que o Executivo não se opõe à ideia de introduzir dias de licença para os pais poderem fazer o luto do bebé que perderam. 

O titular da pasta do Trabalho acrescenta mesmo que irá reunir-se em breve com os parceiros sociais para falar sobre a questão. Dan Kersch sublinha, no entanto, que o programa de coligação (2018-2023) entre os três partidos que compõem o Executivo não prevê esta licença especial. 

A pergunta dos socialistas surgiu após a Nova Zelândia ter votado uma lei que concede, tanto à mãe como ao pai, uma licença de três dias para ajudar a superar um aborto espontâneo.  


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.