Escolha as suas informações

Governo luxemburguês assina acordo com comunidade judaica para compensar espoliação de bens durante o Holocausto
Sociedade 2 min. 27.01.2021

Governo luxemburguês assina acordo com comunidade judaica para compensar espoliação de bens durante o Holocausto

Governo luxemburguês assina acordo com comunidade judaica para compensar espoliação de bens durante o Holocausto

Foto: DR/ Governo do Luxemburgo
Sociedade 2 min. 27.01.2021

Governo luxemburguês assina acordo com comunidade judaica para compensar espoliação de bens durante o Holocausto

A cerimónia de assinatura aconteceu no dia em que se celebra o aniversário da libertação do campo de concentração de Auschwitz, pelo exército soviético.

O Governo do Luxemburgo e a comunidade judaica assinaram, esta quarta-feira, 27 de janeiro, um acordo relativo às questões ainda não resolvidas relacionadas com as espoliações de bens judaicos durante o Holocausto.

A cerimónia de assinatura aconteceu no dia em que se celebra o aniversário da libertação do campo de concentração de Auschwitz, pelo exército soviético.  

Do acordo, assinado pelo Primeiro-Ministro, Ministro de Estado, Xavier Bettel, o Ministro das Finanças, Pierre Gramegna, e pelo presidente do Consistório Judaico do Luxemburgo, Albert Aflalo, faz parte a atribuição de um apoio direto aos sobreviventes do Holocausto no valor de 1 milhão de euros.

Além deste financiamento, estão previstos outros. A Fundação Luxemburguesa para a Memória do Shoah, por exemplo, beneficiará de um orçamento anual de 120.000 euros, ao longo de um período de trinta anos, e terá novas funções como o apoio ao património histórico judeu ligado à história da Segunda Guerra Mundial. 

Estão também previstos, no âmbito do acordo, a aquisição do Convento de Cinqfontaines e a criação de um centro educativo e comemorativo apropriado. 

Além disso, haverá um reforço do orçamento anual do Comité para a Memória da Segunda Guerra Mundial, que integra representantes da resistência, alistados à força e vítimas do Holocausto.

O acordo define ainda uma dotação de 2 milhões de euros para projetos de investigação, que dividida em três partes: investigação académica independente; investigação sobre origens, e trabalhos que contribuam para facilitar o acesso aos Arquivos Nacionais. 

"Será elaborada uma estratégia nacional de combate ao antissemitismo, pelo Governo Luxemburguês e pelo Consistório", refere o Governo em comunicado, explicando, no âmbito da compensação da espoliação de bens à comunidade judaica, que haverá três grupos de trabalho. O objetivo do primeiro será a "identificação e restituição, quando apropriado, de contas bancárias inativas", será criado um segundo, idêntico, para os seguros, e um terceiro dedicado a obras de arte e outros bens culturais. 

Este acordo, que é co-assinado por Dimitri Dombret, representante da Organização Mundial de Restituição Judaica na Europa, e François Moyse, presidente da Fundação Luxemburguesa para a Memória da Shoah, é, segundo o executivo, "a continuação lógica e o culminar das decisões tomadas nos últimos anos".


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas