Escolha as suas informações

Google e Facebook "muito próximos" de acordo na Austrália para pagar aos 'media'
Sociedade 15.02.2021 Do nosso arquivo online

Google e Facebook "muito próximos" de acordo na Austrália para pagar aos 'media'

Google e Facebook "muito próximos" de acordo na Austrália para pagar aos 'media'

Foto: AFP
Sociedade 15.02.2021 Do nosso arquivo online

Google e Facebook "muito próximos" de acordo na Austrália para pagar aos 'media'

Lusa
Lusa
O governo australiano está a trabalhar num projeto de "código de conduta vinculativo" para regular as relações entre os 'media' tradicionais e os gigantes da internet. Google e Facebook estão contra.

A Google e o Facebook estarão "muito próximos" de concluir acordos com os órgãos de comunicação australianos, de forma a compensá-los pela utilização dos seus conteúdos, anunciou hoje um responsável do Governo.

O secretário do Tesouro da Austrália, Josh Frydenberg, disse ao canal público ABC que houve "grandes progressos" nas discussões com o responsável do Facebook, Mark Zuckerberg, e com o diretor-geral da Google, Sundar Pichai, durante o fim de semana. "Creio que estamos muito próximos de acordos comerciais muito importantes", afirmou o governante, acrescentando que estes iriam "transformar a paisagem mediática australiana".

O governo australiano está a trabalhar num projeto de "código de conduta vinculativo" para regular as relações entre os 'media' tradicionais, em grandes dificuldades financeiras, e os gigantes da internet, a começar pela Google e o Facebook, que captam a maioria das receitas publicitárias. Tanto a Google como o Facebook ameaçaram suspender os seus serviços caso Camberra não altere o plano de forçar os gigantes da internet a pagar aos meios de comunicação pelos seus conteúdos. 

O código de conduta vinculativo obriga a Google e o Facebook a negociar com cada órgão de comunicação uma remuneração para divulgar os seus conteúdos, com a possibilidade da intervenção de um mediador, na ausência de acordo. Os maiores grupos de informação australianos, News Corp e Nine Entertainment, estimam que as compensações se elevem a centenas de milhões de dólares por ano.


Fake news. UE vai dizer às plataformas como eliminar desinformação e pode multá-las
A Comissão Europeia quer um reforço das regras na União Europeia (UE) para obrigar grandes plataformas digitais, como Facebook ou Twitter, a removerem informações falsas, passando a dizer-lhes o que devem fazer e a poder sancioná-las.

Tanto a Google como o Facebook, apoiados pelo Governo dos Estados Unidos, defenderam que o projeto mina o seu modelo de negócio e o funcionamento da internet. A iniciativa australiana está a ser acompanhada de perto em todo o mundo, numa altura em que os meios de comunicação social estão a sofrer enormes perdas, numa economia digital em que as receitas publicitárias estão a ser cada vez mais capturadas pelo Facebook, Google e outras grandes empresas tecnológicas.

A crise dos media foi exacerbada pelo colapso económico causado pela pandemia de covid-19. Na Austrália, dezenas de jornais foram encerrados e centenas de jornalistas foram despedidos.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas