Escolha as suas informações

Funeral real. Rainha Isabel II devastada, William e Harry separados e o carro fúnebre original
Sociedade 49 2 min. 17.04.2021

Funeral real. Rainha Isabel II devastada, William e Harry separados e o carro fúnebre original

Funeral real. Rainha Isabel II devastada, William e Harry separados e o carro fúnebre original

AFP
Sociedade 49 2 min. 17.04.2021

Funeral real. Rainha Isabel II devastada, William e Harry separados e o carro fúnebre original

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Esta tarde a monarca despede-se do seu “amado” marido. A cerimónia fúnebre do Duque de Edimburgo reuniu os filhos de Diana mas não atenuou a distância e frieza entre os dois. Vejas as imagens do funeral.

O Land Rover verde escuro, a cor dos mesmos carros de uso militar, seguiu devagar os sete minutos que distaram do interior do Castelo de Windsor até à capela de São Jorge, nos terrenos do edifício.

A seguir ao Land Rover planeado pelo próprio Duque de Edimburgo para transportar a sua urna, 16 anos antes, a rainha isabel II seguia logo atrás no seu Bentley oficial bordeaux. 

Vestida de preto e de máscara, sem nunca perder a sua pose obrigatória real, a rainha Isabel seguiu viagem olhando sempre em frente para o Land Rover com a urna forrada com a bandeira real onde seguia o seu amado marido, o “seu grande amor”. 

Foram 74 anos juntos num casamento de amor. Agora aos 94 anos, a dias de completar 95 anos, a 21 abril, a rainha despede-se do seu marido, grande companheiro e amigo.

Durante todo o tempo que o Príncipe Philip esteve internado, tendo alta poucos dias antes de falecer, a monarca nunca o visitou, devido à situação de pandemia. A coroa primeiro, como sempre se regeu Isabel II na sua vida, por isso, só reviu o marido, quase um mês depois, até ele ter alta.

Atrás do Bentley da rainha seguiram a pé os seus quatro filhos, os príncipes Carlos, André Eduardo e Ana e atrás deles os netos William e Harry. De acordo com a revista espanhola Hola, os dois irmãos filhos de Diana que se viram hoje, pela primeira vez, desde há um ano, quando Harry se mudou para os EUA, comportaram-se friamente no reencontro deixando clara a rutura que existe, neste momento, entre eles. E que se intensificou bastante depois da entrevista que Harry e Meghan deram à Oprah Winfrey e onde criticaram a família real pelo modo como se comportaram com a mulher de Harry e mesmo com o filho Archie, o bisneto da rainha Isabel e a quem não foi dado o título real de príncipe.

A mulher de Harry, Meghan ficou em casa, nos EUA. De acordo com a casa real optou por não viajar até Londres junto com o seu marido por estar já “num estado avançado de gravidez”. Mas a sua presença no último adeus ao Duque de Edimburgo teria incomodado muito a família real sobretudo neste momento de tristeza.

Meghan Markle ficou assim em casa a assistir à cerimónia fúnebre pela televisão, tal como milhões de pessoas em todo o mundo. O Land Rover verde no qual o Duque de Edimburgo tantos anos trabalhou com os profissionais da marca para o transformar no seu carro fúnebre parou à entrada da Capela de São Jorge onde se iniciou a missa. 

Devido à pandemia muito pouca gente na igreja, apenas a família chegada, não mais de 30 pessoas ao todo. Lá fora muita gente de semblante triste e com lágrimas. Apesar das recomendações para ficar em casa a assistir ao último adeus do seu Duque de Edimburgo, alguns súbditos quiseram estar mais perto da sua rainha e da família real naquele que um dia de enorme dor para a monarca de Inglaterra.

Nas vésperas do dia do funeral as páginas nas redes sociais da casa real britânica publicaram uma fotografia inédita da rainha Isabel com o seu marido, o príncipe Philip, sentados na relva descontraídos e com um ar feliz.  


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas