Escolha as suas informações

Fronteiriços franceses em teletrabalho até final de junho
Sociedade 10.03.2021 Do nosso arquivo online

Fronteiriços franceses em teletrabalho até final de junho

Fronteiriços franceses em teletrabalho até final de junho

Pixabay
Sociedade 10.03.2021 Do nosso arquivo online

Fronteiriços franceses em teletrabalho até final de junho

Redação
Redação
Os franceses fronteiriços podem continuar a trabalhar a partir de casa sem impacto no seu rendimento até 30 de junho de 2021, foi hoje decidido.

França e o Luxemburgo chegaram, nesta quarta-feira, a novo acordo fiscal referente ao teletrabalho dos fronteiriços franceses. Este estipula que quem more em França mas trabalhe no Luxemburgo, pode continuar a trabalhar em casa sem precisar de alterar a sua situação fiscal e passar a pagar impostos no país de residência. Normalmente, essa mudança acontece após o período de 29 dias por ano em "home office". 


Pandemia enviou quase metade da população ativa da UE para teletrabalho
A pandemia de covid-19 fez com que quase metade da população ativa da União Europeia (UE) estivesse em teletrabalho, total ou parcial, em julho, contra cerca de 10% antes da crise pandémica, segundo o Eurofound.

O acordo permite, assim, que os cerca de 105 mil franceses que trabalham para o Grão-Ducado continuem a trabalhar de casa até 30 de junho, sem verem prejuízo fiscal. 

"Estou satisfeito com esta nova extensão do nosso acordo com a França até de junho de 2021. O acordo franco-luxemburguês sobre teletrabalho para passageiros transfronteiriços permite conter o vírus e oferece a máxima segurança jurídica aos empregadores e trabalhadores dos dois países. Esta extensão ilustra mais uma vez o bom entendimento entre os mesmos e gostaria de agradecer ao governo francês e em particular ao Ministro da Economia, Finanças e Recuperação, Bruno Le Maire, pela excelente colaboração", disse o  ministro das Finanças, Pierre Gramegna. 

No início deste mês, as autoridades belgas e luxemburguesas chegaram a acordo, pela terceira vez, para evitar qualquer prejuízo fiscal para os trabalhadores que estão impedidos de voltar ao escritório. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O Luxemburgo e França assinaram esta terça-feira uma nova convenção fiscal para evitar a dupla tributação e estabelecer novas regras em matéria de impostos sobre o rendimento. O último acordo bilateral sobre esta matéria remonta a 1958.
French President Emmanuel Macron (R) and Grand Duke Henri of Luxembourg toast during a state dinner for the Grand Duke and the Grand Duchess of Luxembourg at he Elysee Palace in Paris on March 19, 2018.  / AFP PHOTO / POOL / BENOIT TESSIER