Escolha as suas informações

França vai deixar de exigir teste negativo a alguns viajantes (incluindo do Luxemburgo)
Sociedade 04.06.2021

França vai deixar de exigir teste negativo a alguns viajantes (incluindo do Luxemburgo)

França vai deixar de exigir teste negativo a alguns viajantes (incluindo do Luxemburgo)

Foto: AFP
Sociedade 04.06.2021

França vai deixar de exigir teste negativo a alguns viajantes (incluindo do Luxemburgo)

AFP
AFP
A partir da próxima semana, viajantes vacinados da Europa, Austrália, Coreia do Sul, Israel, Japão, Líbano, Nova Zelândia e Cingapura estão isentos de testes

França decidiu rever as restrições sanitárias para viajantes. A partir de quarta-feira, 9 de junho, os europeus vacinados contra o covid-19 poderã entrar no país sem ser obrigatório presentar teste negativo, seja PCR ou antígeno. Medida que diz respeito também a outros estrangeiros da Austrália, Coreia do Sul, Israel, Japão, Líbano, Nova Zelândia e Singapura. Para as pessoas destes países que não foram vacinadas, um teste de PCR ou antígeno de menos de 72 horas continua a ser necessário. 

O mesmo se aplica a todos os viajantes, vacinados ou não, do Reino Unido e dos Estados Unidos, que ainda terão de fazer quarentena de sete dias em sua chegada ao território francês.

No entanto, França ainda segue um protocolo estrito em relação a quem chega da África do Sul, Argentina, Bahrein, Bangladesh, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Índia, Nepal, Paquistão, Sri Lanka, Suriname, Turquia e Uruguai. 

Só podem entrar em território francês em caso de "motivo imperioso", seja para prestar assistência a um ente querido, seja para trabalho ou por motivos de saúde. Vacinados ou não, esses viajantes devem apresentar PCR ou teste antígeno negativo, e respeitar quarentena de 7 a 10 dias.

É de notar que as autoridades francesas consideram como vacinadas as pessoas que receberam a segunda dose catorze dias antes da data da viagem. Para a dose única de Johnson & Johnson, o limite de tempo aumenta para quatro semanas.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas