Escolha as suas informações

França recebeu mais de 10 mil refugiados da Ucrânia
Sociedade 13.03.2022 Do nosso arquivo online
Guerra

França recebeu mais de 10 mil refugiados da Ucrânia

Mulher despede-se de soldado ucraniano, antes de fugir do país.
Guerra

França recebeu mais de 10 mil refugiados da Ucrânia

Mulher despede-se de soldado ucraniano, antes de fugir do país.
AFP
Sociedade 13.03.2022 Do nosso arquivo online
Guerra

França recebeu mais de 10 mil refugiados da Ucrânia

Lusa
Lusa
O país vizinho do Luxemburgo estima que número aumente para mais de 100 mil pessoas que fogem da guerra na Ucrânia.

Mais de 10.000 refugiados da guerra na Ucrânia chegaram a França, cuja Célula Interministerial de Crise (CIC) se reúne pela primeira vez, na segunda-feira, para proporcionar a todos o melhor acolhimento possível, anunciou o Governo francês.  

Os ministros da Cidadania e da Coesão Territorial, Marlène Schiappa e Joël Giraud, respetivamente, vão reunir-se com organizações não-governamentais (ONG) e representantes políticos interessados em participar no acolhimento destas pessoas, assinala o comunicado do executivo, citado pela agência EFE.

O total de refugiados da Ucrânia no país é, atualmente, superior a 10.000, mas o Governo francês espera que o número possa ultrapassar as 100.000 pessoas, como assumiu o primeiro-ministro francês, Jean Castex, numa entrevista ao jornal Le Parisien.


Olga Postolenko, refugiada da Ucrânia, está num quarto adaptado de um camarote do Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria
"O mundo deveria ser como Portugal: tranquilo". A ucraniana que voltou a "dormir bem" em Leiria
Ao quarto dia da guerra, Olga saiu de Kiev com os filhos, os pais, a avó, a cadela e duas gatas. Hoje, está em segurança no Estádio Municipal de Leiria mas não esquece o seu país.

De momento, o executivo registou 30.000 propostas de alojamento para os refugiados oriundos da Ucrânia, incluindo instalações geridas pelas autoridades públicas e por particulares.

Em França, 80% da população é a favor do acolhimento destes refugiados, uma percentagem elevada, mas inferior à verificada em outros países europeus.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já causou pelo menos 564 mortos e mais de 982 feridos entre a população civil e provocou a fuga de cerca de 4,5 milhões de pessoas, entre as quais 2,5 milhões para os países vizinhos, segundo os mais recentes dados da ONU.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.Subscrever

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas a Moscovo.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas