Escolha as suas informações

França. Jovens ainda preferem a televisão para se informarem
Sociedade 22.11.2022
Estudo

França. Jovens ainda preferem a televisão para se informarem

Estudo

França. Jovens ainda preferem a televisão para se informarem

Foto: Unsplash
Sociedade 22.11.2022
Estudo

França. Jovens ainda preferem a televisão para se informarem

AFP
AFP
Ao contrário do que se pensava desta nova geração, metade do jovens inquiridos procura os canais de televisão para se informar.

Em França a televisão continua a ser o canal de informação preferido pelos jovens, à frente dos meios de comunicação social exclusivamente online ou de relatos dos chamados 'influencers' das redes sociais, de acordo com uma sondagem Ipsos divulgada esta terça-feira. 

O inquérito analisa a relação dos jovens (dos 16 aos 30 anos) com a informação. Foi realizado na internet de 10 a 15 de novembro entre uma amostra de 1.000 franceses. 

 Ao contrário da crença popular, 40% dos inquiridos dizem seguir as notícias "sobretudo utilizando os meios de comunicação social generalistas" nos seus meios tradicionais (televisão, rádio, jornais), e 35% informam-se "a falar" com a família, amigos, colegas, professores, etc. 

Onde vão em primeiro lugar para obter informação? Pouco mais de um quarto (26%) dizem que se vão primeiro aos "meios de comunicação social como TV, rádio, jornais ou contas de jornalistas em redes sociais", em comparação com as aplicações móveis (23%), os meios de comunicação social exclusivamente online (22%) e os "influencers" das redes sociais (17%).


Portugueses são reis das redes sociais no Luxemburgo
Mais que os luxemburgueses e os residentes de outras nacionalidades. Mais de 70% dos portugueses usam as redes sociais no Luxemburgo, segundo um estudo recente do Statec.

Quanto à pergunta sobre que meios de comunicação "utiliza com mais frequência para obter notícias", metade (50%) respondeu "canais de televisão (TF1, France 2, M6, Arte...) qualquer que seja o formato (TV, contas de redes sociais, aplicações)", à frente dos "canais de notícias 24 horas" (30%), "grandes jornais nacionais" (24%) e rádio (22%), "qualquer que seja o formato". 

 Seguem-se os "relatos de "influencers" ou peritos nas redes sociais" (22%), os meios de comunicação social online (21%), a imprensa regional (18%) e a imprensa especializada num tema particular (14%). 

Rádio de confiança

Estas práticas não refletem necessariamente o nível de confiança dado a cada meio de comunicação social. Apenas 39% dos inquiridos dizem confiar "na informação sobre assuntos correntes dada pelos canais só de notícias, contra 44% para contas especializadas, 59% para os canais tradicionais e 61% para as estações de rádio. 


Luxemburgo. 90% dos residentes usa o smartphone para aceder à Internet
Quase toda a população do país, dos 16 aos 74 anos, está ligada à Internet.

Relativamente aos temas abordados, os jovens gostariam de ver mais cobertura de temas sobre o ambiente (28%), questões sociais (poder de compra, desigualdades, desemprego, 26%), e saúde (20%). 

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.