Escolha as suas informações

Finlândia vai ter a primeira-ministra mais jovem do mundo
Sociedade 4 min. 09.12.2019 Do nosso arquivo online

Finlândia vai ter a primeira-ministra mais jovem do mundo

Sanna Marin, primeira-ministra da Finlândia.

Finlândia vai ter a primeira-ministra mais jovem do mundo

Sanna Marin, primeira-ministra da Finlândia.
Foto: AFP
Sociedade 4 min. 09.12.2019 Do nosso arquivo online

Finlândia vai ter a primeira-ministra mais jovem do mundo

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Aos 34 anos Sanna Marin assume a liderança do governo finlandês e torna-se na política mais jovem a desempenhar este cargo em todo o mundo.

 A finlandesa Sanna Marin, de 34 anos, será a mais jovem primeira-ministra do mundo quando tomar, oficialmente,   posse do cargo, esta semana.

A política, que era até à data a ministra dos Transportes e Comunicações da Finlândia foi a escolha do Partido Social-Democrata (SDP) para suceder a Antti Rinne (57 anos). O ex-primeiro-ministro chefiou o governo finlandês durante seis meses, mas demitiu-se no início de dezembro, depois de a coligação governamental lhe retirar a confiança política pela forma como conduziu a greve dos serviços postais, que começou a 11 de novembro e só terminou no final do mesmo mês, refere a BBC. 

 Quando assumir o cargo de primeira-ministra da Finlândia, Sanna Marin, nascida em Helsínquia, a 16 de novembro de 1985, será a líder mundial mais jovem, seguindo-se o chefe de governo ucraniano, Oleksiy Honcharuk, de 35, e a primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, 39 anos. 

Criada numa família LGBT e a primeira a formar-se na universidade 

Segundo os jornais finlandeses, citados por aquele órgão britânico, Sanna Mirella Marin foi criada por uma família LGBT, vivia numa casa alugada com a sua mãe e a companheira e isso terá influenciado a sua infância. Ao site finlandês Menaiset afirmou, em 2015, que quando era criança se sentia um pouco "invisível" por não poder falar abertamente sobre a sua família como as outras crianças. 

No entanto, sublinhou que a sua mãe sempre a apoiou e a ensinou a acreditar nela própria e na sua capacidade para fazer o que quisesse. Mãe de uma menina de 22 meses, Sanna foi a primeira pessoa da sua família a frequentar a universidade, tendo um mestrado em Ciências da Administração. 

Começou na política com 20 anos e tornou-se rapidamente uma das jovens mais promissoras dos sociais-democratas finlandeses. 

Foto: Vesa Moilanen/Lehtikuva/dpa


Aos 27 conquistou a câmara municipal da cidade de Tampere, cujos destinos liderou entre 2013 e 2017. Em 2015, foi eleita deputada para o seu primeiro mandato no parlamento.  

Desde junho deste ano que tutelava a pasta dos Transportes e das Comunicações. 

Combate às alterações climáticas entre as suas bandeiras 

Segundo o perfil publicado no site do governo finlandês, Sanna Marin é uma defensora das políticas ambientais e o combate às alterações climáticas está no topo da sua agenda. 

"As alterações climáticas e a perda de biodiversidade estão entre os grandes problemas do nosso tempo. Tratar deles exige vontade política determinação", diz a dirigente no mesmo site. 

 Durante as conversações para a formação do atual governo, após as eleições de abril deste ano, a recém-nomeada primeira-ministra dirigiu uma mesa de negociações sobre o tema "A Finlândia livre de [emissões] de carbono que protege a biodiversidade". 

Uma coligação de cinco mulheres 

 Nas eleições de abril passado o Partido Social Democrata foi o mais votado, por isso, mesmo com a demissão de Antti Rinne, este grupo político pode apontar um substituto ao cargo e continuar a liderar a coligação. 

Com a indicação de Sanna Marin para o lugar, o executivo - formado pelo SDP, o Partido do Centro, os Verdes, a Aliança de Esquerda e o Partido Popular Sueco da Finlândia - passa a ser composto por lideranças exclusivamente femininas, na sua maioria com idades próximas às da nova primeira-ministra. 

 Os restantes partidos são encabeçados por Katri Kulmuni (32 anos), do Partido de Centro, Li Andersson (32 anos), da Aliança de Esquerda, Maria Ohisalo (34 anos), dos Verdes, e Anna-Maja Henriksson (55 anos), do Partido Popular Sueco da Finlândia. Neste século, a Finlândia já teve duas primeiras-ministras Anneli Jäätteenmäki e Mari Kiviniemi, ambas na casa dos 40 anos quando assumiram o cargo. 

Não é, portanto, uma novidade que as mulheres, especialmente jovens, se envolvam ativamente na política finlandesa. E, conforme assinalam à BBC especialistas finlandeses, nos últimos anos os eleitores foram-se habituando à expectativa de ter pelo menos 40% de representação feminina na tutela de pastas ministeriais. 

Apesar disso, a nomeação de Sanna Marin não implica uma mudança de política, pelo menos para já.

Sanna Marin com o presidente do SDP e antigo primeiro-ministro, seu antecessor, Antti Rinne.
Sanna Marin com o presidente do SDP e antigo primeiro-ministro, seu antecessor, Antti Rinne.
Foto: AFP


De acordo com site do governo finlandês, o objetivo é continuar a cooperação entre os diferentes partidos que compõem o executivo, "em linha com o programa de governo do [ex] primeiro-ministro Rinne". 

"Uma Finlândia inclusiva e competente - uma sociedade social, económica e ecologicamente sustentável" continuará a ser o lema e a base das decisões já tomadas e a tomar, lê-se ainda no site.


Notícias relacionadas