Escolha as suas informações

EUA avançam com vacina anticovid para crianças dos 5 aos 11 anos
Sociedade 6 3 min. 03.11.2021
Covid-19

EUA avançam com vacina anticovid para crianças dos 5 aos 11 anos

Covid-19

EUA avançam com vacina anticovid para crianças dos 5 aos 11 anos

Foto: AFP
Sociedade 6 3 min. 03.11.2021
Covid-19

EUA avançam com vacina anticovid para crianças dos 5 aos 11 anos

Primeiro grupo de crianças tomou a primeira dose da vacina da Pfizer ontem à noite. O fármaco demonstrou uma eficácia de 90,7% nos ensaios clínicos e será administrado em duas tomas, mas com dosagem adaptada.

Os Estados Unidos começaram, esta terça-feira, a administrar vacinas anti covid-19 a crianças dos cinco aos 11 anos de idade.

Esta nova fase da campanha de imunização norte-americana foi saudada como um "marco" por Joe Biden, abrangendo cerca de 28 milhões de crianças elegíveis no país. 

A vacina da Pfizer foi recomendada, ontem, oficialmente para esta faixa etária, pelo Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC), após aprovação no final da semana passada pela Food and Drug Administration (FDA). 


As vacinas contra a covid para as crianças abaixo dos 11 anos são compostas por um terço da dose administrada a jovens e adultos.
Pfizer pede aos EUA para aplicar vacina a crianças de cinco a 11 anos
Até 26 de outubro especialistas e FDA vão analisar se há provas suficientes de que estas vacinas são seguras e eficazes nos mais novos.

Um painel de peritos independentes, convocado pelo CDC, recomendou unanimemente a vacina da Pfizer para crianças dos 5 aos 11 anos de idade, revendo os dados disponíveis sobre o impacto da epidemia nos mais novos, a eficácia da vacina e os seus possíveis efeitos secundários. A principal preocupação em administrar o fármaco a este grupo etário era o risco de miocardite, uma inflamação do músculo cardíaco detetada em adolescentes e jovens adultos (especialmente homens) após a vacinação com Pfizer ou Moderna.    

As autoridades sanitárias americanas confirmaram quase 880 casos em pessoas com menos de 30 anos de idade (faltam avaliar mais de 600), dos quais cerca de 830 necessitaram de hospitalização. A maioria dos casos resolveu-se em poucos dias. 

Houve nove mortes suspeitas de estarem relacionadas com miocardite após a toma da vacina, mas dos seis casos até agora investigados, a miocardite relacionada com a vacina acabou por ser descartada "como causa de morte", segundo afirmou o cardiologista pediátrico, Matthew Oster, numa apresentação. "O risco de ter um problema cardíaco é muito mais elevado se se apanha covid-19 do que se se tomar esta vacina", frisou.

Foto: AFP

Entre os menores com idades entre os 5 e os 11 anos, registaram-se mais de 1,9 milhões de casos de covid-19 nos EUA, mais de 8.300 hospitalizações, mais de 2.300 casos de MIS-C (síndrome inflamatória multissistémica pediátrica) e cerca de 100 mortes.   


Até agora, a utilização da vacina da Pfizer/BioNTech está somente autorizada para pessoas com pelo menos 12 anos de idade.
Decisão da EMA sobre vacina da Pfizer em crianças só no fim do ano
Até agora, a utilização da vacina da Pfizer/BioNTech está somente autorizada para pessoas com pelo menos 12 anos de idade.

Os especialistas defendem ainda que o risco de miocardite será mais raro nas crianças pequenas, graças à dosagem mais baixa e aos níveis de testosterona. 

O número de doses recomendadas da vacina da Pfizer para as crianças dos 5 aos 11 anos é semelhante ao dos adultos, correspondendo a duas tomas, com três semanas de intervalo. No entanto, a dosagem foi ajustada para 10 microgramas por injeção, em comparação com os 30 microgramas para os grupos etários mais velhos, refere a AFP.

Segundo os ensaios clínicos realizados pela Pfizer em milhares de crianças, a vacina demonstrou uma eficácia de 90,7% contra as formas sintomáticas da doença. Além de evitar que adoeçam, os benefícios esperados incluem também uma redução do número de encerramentos de escolas e uma possível redução da transmissão da epidemia na população em geral.  

Governo tem doses suficientes para todas as crianças

Esta terça-feira à noite, um grupo de seis crianças no Hospital Hartford, no estado do Connecticut, recebeu a sua primeira dose da vacina.

Para o presidente dos EUA, Joe Biden, a vacinação "permitirá aos pais acabar com meses de preocupação com os seus filhos" e é um "importante passo em frente" e um "ponto de viragem" na luta contra a pandemia. 

Antecipando a decisão oficial das autoridades sanitárias, o governo americano adquiriu doses suficientes para este grupo etário e para distribuí-las para todas as zonas do país. 


Francisco George recomenda vacinação de crianças se for comprovada eficácia
As crianças maiores de cinco anos devem ser vacinadas contra a covid-19, defende o médico especialista em saúde pública Francisco George.

A campanha de vacinação para estas crianças "atingirá a capacidade total na semana de 8 de novembro", de acordo com Jeff Zients, o coordenador da pandemia da Casa Branca.

As doses estarão disponíveis em farmácias, hospitais pediátricos, consultórios de pediatria, consultórios de médicos de família e também em algumas escolas. 

De acordo com um inquérito a uma amostra de 1.000 pais, apresentado esta terça-feira pelo CDC, 57% disseram que iriam "definitivamente" ou "provavelmente" vacinar os seus filhos. Entre os que manifestaram hesitações,  as preocupações prendem-se, principalmente, com efeitos secundários a curto ou longo prazo. 

Na Europa, a Agência Europeia do Medicamento só deverá tomar uma decisão sobre a vacinação das crianças contra a covid-19, no final do ano.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas