Escolha as suas informações

Espanha com mais de 14 mil novas infeções num dia. Fronteira com Portugal continua aberta
Sociedade 3 min. 18.09.2020

Espanha com mais de 14 mil novas infeções num dia. Fronteira com Portugal continua aberta

Espanha com mais de 14 mil novas infeções num dia. Fronteira com Portugal continua aberta

AFP
Sociedade 3 min. 18.09.2020

Espanha com mais de 14 mil novas infeções num dia. Fronteira com Portugal continua aberta

Lusa
Lusa
Espanha contabilizou hoje 14.389 novos casos de covid-19, mais 2.000 do que quinta-feira, elevando para 640.040 o número total de infetados até agora, segundo números divulgados pelo Ministério da Saúde espanhol.

Por outro lado, o país registou mais 90 mortes com a doença nas últimas 24 horas, aumentando o total de óbitos para 30.495.

Madrid continua a ser a comunidade autónoma com o maior número de infeções, tendo registado mais 5.086 do que o número notificado na terça-feira, o que significa mais de 35% da evolução nacional.

Deram entrada nos hospitais com a doença nas últimas 24 horas 1.299 pessoas, das quais 433 em Madrid, 160 na Andaluzia, 108 em Castela e Leão e 105 na Catalunha.

Há em todo o país 10.143 pessoas hospitalizadas com a doença, das quais mais de um terço, 3.411, em Madrid, e 1.345 pacientes estão em unidades de cuidados intensivos.


Covid-19. Itália, Alemanha e Reino Unido com aumento de casos positivos
A situação na Europa e Reino Unido continua a piorar.

O aumento dos casos dos últimos dias levou a região de Madrid a decidir restringir, a partir de segunda-feira, a liberdade de movimentos a mais de 850.000 pessoas, 13% dos seus habitantes, de zonas da cidade onde houve um maior aumento dos contágios de covid-19.

A população afetada poderá sair do seu bairro para ir trabalhar, ao médico ou levar os seus filhos à escola, e o número de pessoas que se podem reunir é reduzido de 10 para 6.

"Devemos evitar o estado de emergência mas acima de tudo o confinamento, o confinamento é o desastre económico e deve ser evitado por todos os meios", disse a Presidente da comunidade autónoma de Madrid, Isabel Díaz Ayuso, na conferência de imprensa em que apresentou as novas medidas.

O encerramento de jardins e parques é outra das medidas anunciadas para ser implementada em 37 áreas sanitárias da capital espanhola, uma cidade que tem cerca de 6,6 milhões de habitantes num total nacional de 47 milhões.

No interior dessas zonas continua a ser possível circular, mas haverá uma redução da capacidade dos estabelecimentos de 50%, em termos gerais.

Portugal e Espanha mantêm fronteira aberta e defendem medidas "cirúrgicas"  

Portugal e Espanha consideram que a atual situação da pandemia é diferente da registada em março, justificando medidas cirúrgicas e pontuais, e não vão encerrar as fronteiras comuns, referiram hoje em Lisboa os chefes da diplomacia dos dois países. 

A atual fase da covid-19, e as perspetivas da próxima Cimeira luso-espanhola, que vai decorrer na cidade da Guarda em 02 e 03 de outubro, dominaram a conferência de imprensa de Augusto Santos Silva e da sua homóloga espanhola Arancha González Laia, em Lisboa, que na sua reunião de trabalho também abordaram diversos tópicos da agenda europeia e temas internacionais.

"Não", respondeu Augusto Santos Silva sobre um eventual encerramento das fronteiras comuns. "Não é fechando-nos que resolveremos este problema comum que temos, a pandemia.

"Pelo contrário, é cooperando entre nós e fazendo o que temos de fazer ao nível dos poderes públicos, manter e incrementar a capacidade de resposta dos nossos sistemas de saúde e sensibilizar os nossos concidadãos, porque esta luta contra a pandemia ganha-se com a contribuição e o esforço de cada um", defendeu o chefe da diplomacia portuguesa. 

Uma posição corroborada por Arancha González Laia, ao insistir que a situação em Espanha e em Portugal não é uma exceção, mas a regra, e revelar que nesta fase existe uma elevada taxa de infeções de pessoas assintomáticas, o que coloca novos desafios.

"Os surtos que estão a ocorrer em Espanha e Portugal são os mesmos surtos a que assistimos em França, Itália, Áustria, Países Baixos, Reino Unido e, portanto, não são a exceção, são a regra", afirmou.

"A nossa responsabilidade é geri-los. Em Espanha mais de metade das pessoas contagiadas são assintomáticas, o que dá uma ideia do esforço do país em testes (...) e que se imponha o isolamento cirúrgico dos cidadãos que testaram positivo", precisou a ministra espanhola.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas