Escolha as suas informações

Escolas. 315 alunos e 76 professores infetados desde início do ano letivo
Sociedade 3 min. 14.10.2020

Escolas. 315 alunos e 76 professores infetados desde início do ano letivo

Escolas. 315 alunos e 76 professores infetados desde início do ano letivo

Photo: AFP
Sociedade 3 min. 14.10.2020

Escolas. 315 alunos e 76 professores infetados desde início do ano letivo

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
"Há um aumento de casos no setor da educação", disse hoje a ministra da Saúde. Contudo, Paulette Lenert e o ministro da Educação garantem que as "escolas não são fonte de contágio". Estudantes e docentes foram infetados fora do ambiente escolar.

 O novo ano letivo começou há um mês no Luxemburgo e desde então o número de alunos e professores que testam positivo ao novo coronavírus tem vindo a crescer. “Há um aumento de casos no setor da educação”, declarou hoje a ministra da Saúde, Paulette Lenert na conferência de imprensa sobre a situação da epidemia no país, a qual qualificou de “alarmante”.

De acordo com o balanço semanal deste ministério, 12% do total dos 806 casos de infeção registados no País foram detetados em ambiente escolar, entre os dias 5 e 11 de outubro, mais 5% do que na semana precedente.


"A situação é alarmante. As novas infeções aumentaram 47% na última semana"
No entanto, ainda não é altura para pedir impor mais restrições à população, sublinha a ministra da Saúde.

A situação nas escolas

Desde o primeiro dia de aulas até 12 de outubro foram registados um total de 315 alunos infetados nas escolas públicas e privadas do país, entre o ensino fundamental e secundário. De salientar que a grande maioria das infeções foi detetada no público, já que do total de estudantes infetados apenas 55 frequentam o ensino privado. O mesmo se verifica entre os docentes. Entre o total de 76 professores que acusaram positivo ao Sars-CoV-2, 12 pertencem aos estabelecimentos privados.

Na distribuição de casos entre fundamental e privado os números são próximos, 159 alunos pertencem ao fundamental e 156 ao secundário. Contudo, no secundário privado registaram-se só 9 casos de infeção e no fundamental privado, 46 casos.

"Escolas não são fonte de contágio"

Contudo, as “escolas não são uma fonte de contágio”, garante por seu turno, o ministério da Educação, justificando que os alunos e professores que testaram positivo à covid-19 foram contaminados fora do ambiente escolar, não havendo propagação no interior dos estabelecimentos escolares.

A justificação do ministro da Educação é dada pelas estatísticas repartidas pelos três cenários escolares. O primeiro cenário, o mais abrangido, diz respeito a apenas um caso de infeção por turma; o cenário 2, mais do que um caso por turma, e que em ambos os cenários, a contaminação ocorreu fora do ambiente escolar.

Quase todos as infeções decorreram no cenário 1, apenas 25 casos dizem respeito ao cenário 2, mais do que dois alunos infetados por turma.


Covid-19. Alunos com casacos e mantas nas salas de aulas por causa das janelas abertas
Os pais do Luxemburgo dizem que há muitos alunos constipados porque este ano faz frio nas salas, devido às medidas de prevenção do coronavírus. Cabe a cada escola reajustar as regras, diz o ministério. Os conselhos dos pediatras.

Na pior situação, o cenário 3,em que há vários casos de infeção e propagação no meio escolar, registaram-se apenas “dois casos que afetaram quatro alunos e quatro professores”, indica o comunicado do ministério da Educação.

No primeiro caso, a cadeia de infeção verificou-se num liceu privado, numa sessão de musculação, e no segundo caso a contaminação teve lugar entre professores de uma escola fundamental pública, de um mesmo ciclo de aprendizagem.

83 casos na última semana

Do total das 315 infeções entre alunos, 83 casos ocorreram entre os dias 2 e 9 de outubro, 32 no fundamental e 30 casos no secundário públicos e 17 casos no fundamental e 4 casos no secundário privados.


Covid-19. Se os filhos ficarem em casa, pais podem ter baixa por razões familiares
O Governo acabou com o regime de quarentena parcial que tinha provocado polémica.

Entre os professores do total de 76 casos, 26 aconteceram entre os dias 2 e 9 de outubro, 14 no fundamental e 6 no secundário públicos, no privado registaram-se apenas entre 6 professores do privado.

Neste período nenhuma cadeia de infeção foi detetada nas escolas do Luxemburgo, todos os casos tiveram origem em contaminações exteriores ao ambiente escolar, frisa o comunicado.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas