Escolha as suas informações

Ensino complementar de português em Esch com mais alunos do que no ano passado
Sociedade 2 min. 25.07.2017

Ensino complementar de português em Esch com mais alunos do que no ano passado

Ensino complementar de português em Esch com mais alunos do que no ano passado

Foto: Marc Wilwert
Sociedade 2 min. 25.07.2017

Ensino complementar de português em Esch com mais alunos do que no ano passado

O ensino complementar de português em Esch-sur-Alzette, solução que resulta de um acordo entre Portugal e o Grão-Ducado, contará no próximo ano letivo com mais alunos do que os do ano passado, disse esta segunda-feira o coordenador do ensino de português no Luxemburgo, Joaquim Prazeres.

O ensino complementar de português em Esch-sur-Alzette, solução que resulta de um acordo entre Portugal e o Grão-Ducado, contará no próximo ano letivo com mais alunos do que os do ano passado, disse esta segunda-feira o coordenador do ensino de português no Luxemburgo, Joaquim Prazeres.

“Temos um número de inscritos superior ao que tínhamos no ensino integrado, com perspetivas de vir a aumentar”, afirmou aos jornalistas o coordenador do ensino do português no Luxemburgo, Joaquim Prazeres, que participou ontem, em Lisboa, no segundo encontro de professores do ensino português no estrangeiro, dedicado ao tema “Aprender e ensinar português em contexto multilingue”.

Para já, estão inscritos 540 alunos para o próximo ano letivo, que arranca a 15 de setembro, quando no ano passado eram cerca de 530.

Joaquim Prazeres espera que, até lá, o número de inscrições ainda suba.

Trata-se de “um projeto novo” e por isso ainda “há reticências de alguns pais”, considerou o responsável, que estimou que mais de 300 encarregados de educação ainda não responderam.

Para Joaquim Prazeres, esta é “uma ótima solução”, que permite manter o ensino de português “dentro das escolas”, no interior do sistema de educação luxemburguês, sem pagamento de propina e com a avaliação dos alunos “lançada no boletim de notas”.

“O que interessa é o sucesso escolar dos alunos e manter a língua viva naquela região, onde há escolas com 60% de alunos portugueses”, sustentou.

O memorando de entendimento assinado entre Portugal e o Luxemburgo em abril permitiu ultrapassar um diferendo entre os dois países, depois de a comuna de Esch-sur-Alzette ter decidido encerrar o curso integrado de português, afetando 500 crianças.

No resto do país, mantém-se o ensino integrado nas localidades onde já existia e também o ensino paralelo, com pagamento de propina, noutros sítios.

No total, 26 professores ensinam língua portuguesa no Luxemburgo a 2.804 estudantes, mas o coordenador do ensino garante que a perspetiva é “criar uma dinâmica positiva e vir a aumentar o número de alunos”.

Em maio passado, um conselheiro das Comunidades no Grão-Ducado e vários dirigentes associativos consideraram que o acordo representa “um retrocesso”.

"Muitos vão ter de escolher entre ir para o desporto ou para o português, ou entre qualquer outra atividade de ocupação dos miúdos e o ensino da língua", apontou o representante do Luxemburgo eleito para o Conselho das Comunidades, um órgão de consulta do Governo português em matéria de emigração.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

EDITORIAL: Reforçar laços
Assegurar aos alunos de origem portuguesa no Luxemburgo aulas de língua materna, desde o precoce ao secundário, é o grande objetivo de um acordo que António Costa vem assinar hoje no Grão-Ducado.
Portuguese Prime Minister Antonio Costa (R) and his Luxembourg`s counterpart Xavier Bettel (L) at a press conference during his visit to Portugal at S.Bento Palace in Lisbon, Portugal, 10 November 2016. ANDRE KOSTERS/LUSA
Ministro da Educação: "Há três anos que propomos às autoridades portuguesas que reorientem o português para o pré-escolar"
É a primeira vez que o ministro da Educação do Luxemburgo fala sobre o fim dos cursos integrados em Esch-sur-Alzette, e a mensagem é clara. O ministro quer que os cursos integrados no ensino primário sejam substituídos por intervenções apenas no pré-escolar. Uma proposta que se aplicaria a todo o país e que representaria o fim dos cursos integrados de língua e cultura portuguesa no ensino primário luxemburguês.
Lição n°4: Há 2.781 alunos inscritos nas aulas de português
Há 2.781 alunos inscritos nas aulas de Português no Luxemburgo para o ano lectivo 2016/2017, 1.536 no ensino integrado (na escola pública luxemburguesa) e 1.245 no ensino paralelo, segundo dados avançados ao CONTACTO por Joaquim Prazeres, responsável pela Coordenação do Ensino do Portugês no Grão-Ducado.
A poucos dias do início das aulas estavam inscritos 1.536 alunos nos cursos integrados de português e 1.245 nos cursos paralelos