Escolha as suas informações

EMA vai avaliar comprimido contra a covid-19
Sociedade 25.10.2021
Covid-19

EMA vai avaliar comprimido contra a covid-19

Covid-19

EMA vai avaliar comprimido contra a covid-19

Justin Lane
Sociedade 25.10.2021
Covid-19

EMA vai avaliar comprimido contra a covid-19

AFP
AFP
Se aprovado, esta pílula oral pode representar um grande avanço na redução das formas graves da doença.

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) anunciou nesta segunda-feira que vai iniciar a revisão acelerada do comprimido anticovid-19 desenvolvido pela farmacêutica norte-americana Merck. 

Esta etapa abre o caminho a um possível pedido de aprovação da UE para o tratamento baseado em comprimidos e surge duas semanas após a Merck ter tentado obter a aprovação de emergência para o medicamento nos EUA. Uma revisão contínua é um instrumento que a EMA utiliza para acelerar a avaliação de um medicamento ou vacina promissora durante uma emergência de saúde pública. Se aprovado, representa um grande avanço na redução das formas graves da doença. 

Antivíricos como o molnupiravir, aqui em causa, têm como função reduzir a capacidade de replicação de um vírus. Resultados preliminares de estudos laboratoriais e clínicos "sugerem que o medicamento pode reduzir a capacidade do SRA-CoV-2 (...) de se multiplicar no corpo, prevenindo assim a hospitalização ou morte em doentes com Covid-19", disse a EMA, citada pela AFP. O regulador europeu vai agora avaliar se o medicamento cumpre os padrões europeus de eficácia, segurança e qualidade. 

Este tipo de tratamento para o coronavírus tem sido procurado desde o início da pandemia, mas os peritos continuam a reiterar que esta não é uma cura milagrosa e deveria complementar as vacinas, não substituí-las. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

A primeira pílula oral para tratar doentes covid-19, aos primeiros sintomas, poderá estar disponível a curto prazo. Desenvolvida pela Merck este fármaco demonstrou reduzir para metade os internamentos. Vai agora ser pedida a sua autorização de uso à FDA.
Esta é a primeira pílula oral contra a covid-19, desenvolvida pela Merck.