Escolha as suas informações

EMA dá luz verde à vacina Janssen. Benefícios superam os riscos
Sociedade 2 min. 20.04.2021 Do nosso arquivo online

EMA dá luz verde à vacina Janssen. Benefícios superam os riscos

EMA dá luz verde à vacina Janssen. Benefícios superam os riscos

Foto: AFP
Sociedade 2 min. 20.04.2021 Do nosso arquivo online

EMA dá luz verde à vacina Janssen. Benefícios superam os riscos

Redação
Redação
Luxemburgo é um dos dois únicos Estados-Membros da UE (juntamente com a Polónia) que já administrou a vacina da Johnson & Johnson.

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) reforça que, apesar de identificado o risco de um efeito secundário grave (mas raro), os benefícios da vacinação na prevenção da morte por covid-19 continuam a superar os riscos. 

O comité de segurança da EMA (PRAC) analisou os oito casos conhecidos de formação de coágulos sanguíneos em conjunto com baixos níveis de plaquetas após a toma da vacina da Johnson & Johnson.

Os casos foram todos registados nos Estados Unidos, onde já foram administradas mais de sete milhões de doses desta vacina. A maioria são mulheres, têm menos de 60 anos e manifestaram os sintomas até três semanas após a vacinação. Uma das pessoas morreu. Não são conhecidos fatores de risco que possam justificar estes efeitos secundários graves, mas raros, em algumas pessoas vacinadas.

Como a covid-19 está associada a um risco de hospitalização e morte, a EMA insistiu hoje que os benefícios globais da vacina Janssen na prevenção da doença superam os riscos de efeitos secundários, apesar de defender que estas tromboses sejam listadas como efeitos secundários muito raros da vacina.

"No passado fim de semana, o número global de mortos devido à covid-19 ultrapassou os três milhões em todo o mundo e ainda há milhares de pessoas a morrer todos os dias. [...] Quando as vacinas são distribuídas a um grande número de pessoas, é possível que efeitos secundários muito raros ocorram", mas isso demonstra que "temos um sistema de farmacovigilância muito bom em vigor na Europa e podemos detetá-los", adiantou Emer Cooke hoje à imprensa. Entendimento semelhante teve já o regulador europeu sobre a vacina da AstraZeneca contra a covid-19.

A ferramenta 'online' do ECDC para rastrear a vacinação da UE dá também conta que só dois Estados-membros administraram até agora a vacina da Janssen: Polónia e Luxemburgo.

Ainda de acordo com os dados do ECDC, 7,9% da população adulta da UE já está totalmente inoculada (com as duas doses), enquanto 20,5% recebeu a primeira dose da vacina, ainda longe da meta dos 70% estipulada pela Comissão Europeia para final do verão.

Governo luxemburguês recebeu 2.400 doses no dia 12 de abril e continua a usar todas as doses disponíveis para imunizar a população, incluindo as da vacina da AstraZeneca, que só não está recomendada para mulheres grávidas.

Com agências. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas