Escolha as suas informações

Petição sobre formação dos educadores vai brevemente a debate
Sociedade 30.07.2021
Educação

Petição sobre formação dos educadores vai brevemente a debate

Foto: DR
Educação

Petição sobre formação dos educadores vai brevemente a debate

Foto: DR
Sociedade 30.07.2021
Educação

Petição sobre formação dos educadores vai brevemente a debate

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Os membros da comissão parlamentar das petições públicas deram o seu aval nesta quarta-feira.

A petição pública que contesta o projeto de reforma da formação dos educadores vai a debate no Parlamento, uma vez que chegou às 4.654 assinaturas, ou seja, ultrapassou o número necessário para a organização do debate público. 

A ideia do ministro da Educação, Claude Meisch, é que os alunos que obtiverem o diploma dos estudos secundários na área das Ciências Sociais possam fazer a formação de educador em apenas um ano. 

A proposta tem como objetivo tornar a formação mais atrativa, lutando contra a atual falta de educadores.Mas a petição lançada por um residente, além de não concordar com a proposta do Ministério da Educação, pede que a reforma seja simplesmente abolida. 


Reforma educadores. Sindicato mantém crítica apesar de “reunião construtiva com ministro da Educação”
Após ter criticado o projeto de reforma previsto pelo Ministério da Educação para a formação dos educadores, o sindicato deste profissionais da Confederação-Geral da Função Pública (CGFP) teve uma reunião com o ministro da Educação, Claude Meisch.

O peticionário considera que a proposta do ministério vai retirar qualidade à formação, que é atualmente feita em três anos, em que a componente prática é essencial para os aspirantes a educadores. Uma opinião partilhada por vários sindicatos da área do ensino.

Uma outra petição esteve quase a ir a debate. A petição pública que reivindicava um apoio financeiro para os pais que ficam em casa para tomar conta dos filhos conseguiu 4.419 assinaturas. Faltavam-lhe apenas 81 rubricas para ser discutida na Câmara dos Deputados.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas