Escolha as suas informações

E.coli em pizzas Buitoni. França abre investigação por "homicídio involuntário"
Sociedade 3 min. 02.04.2022 Do nosso arquivo online
Segurança alimentar

E.coli em pizzas Buitoni. França abre investigação por "homicídio involuntário"

Imagem ilustrativa.
Segurança alimentar

E.coli em pizzas Buitoni. França abre investigação por "homicídio involuntário"

Imagem ilustrativa.
Foto: Unsplash / Brenna Huff
Sociedade 3 min. 02.04.2022 Do nosso arquivo online
Segurança alimentar

E.coli em pizzas Buitoni. França abre investigação por "homicídio involuntário"

Redação
Redação
A investigação diz respeito aos delitos de "engano de mercadorias, exposição ou venda de produtos alimentares corrompidos ou falsificados prejudiciais à saúde, colocação no mercado de produto prejudicial à saúde, perigo de terceiros, lesões involuntárias e homicídio involuntário".

O Ministério Público de Paris disse, esta sexta-feira, que tinha iniciado investigações após vários casos graves de contaminação de crianças pela bactéria Escherichia coli (E.coli), com algumas delas a resultarem em mortes, possivelmente ligadas ao consumo de pizzas congeladas da marca Buitoni. 

Segundo a agência AFP, a abertura desta investigação, nomeadamente por "homicídio involuntário", "engano" e por "pôr terceiros em perigo", foi confirmada pelo organismo dois dias depois das autoridades sanitárias terem anunciado que tinham estabelecido uma ligação entre o consumo destas pizzas e casos graves de contaminação. 

Esta investigação, confiada à unidade de saúde pública do Ministério Público de Paris, que tem jurisdição nacional, foi aberta no dia 22 de março.


Queijo grego Manouri recolhido por suspeita de E.Coli
O alerta foi emitido esta quinta-feira pela Comissão de Qualidade, Fraude e Segurança Alimentar.

A investigação diz respeito aos delitos de "engano de mercadorias, exposição ou venda de produtos alimentares corrompidos ou falsificados prejudiciais à saúde, colocação no mercado de produto prejudicial à saúde, perigo de terceiros, lesões involuntárias e homicídio involuntário". 

Entidades como o Gabinete Central de Luta contra as Violações Ambientais e de Saúde Pública (Oclaesp, na sigla em francês), a Direção Geral da Gendarmerie Nacional, o Departamento de Investigação da Direção Geral da Concorrência, Consumo e Controlo de Fraudes (DGCCRF) e a Brigada Nacional de Investigação Veterinária e Fitossanitária (BNEVP) do Ministério da Agricultura também participam na investigação.

A França tem vindo a sofrer um recrudescimento de casos de síndromes hemolíticas urémicas (HUS) ligadas à contaminação por E. coli desde finais de fevereiro. Na quarta-feira, as autoridades de saúde afirmaram que 75 casos estavam a ser investigados, incluindo 41 para os quais foram identificadas síndromes hemolíticas urémicas "semelhantes", e 34 para os quais estão em curso mais testes.

Morte de duas crianças em investigação

De acordo com vários meios de comunicação e informações obtidas pela AFP, foram apresentadas queixas em vários tribunais judiciais em França relacionadas com casos deste género.  Duas crianças morreram, embora a ligação às pizzas daquela marca não tenha sido ainda confirmada.  

Apesar disso, análises já feitas "confirmaram uma ligação entre vários casos e o consumo de pizzas congeladas da gama Fraîch'Up da marca Buitoni contaminada com a bactéria E.coli", anunciou a Direcção-Geral da Saúde numa declaração na quarta-feira. 

A detentora da marca de pizzas também revelou estar a investigar a situação. "Não compreendemos o que poderá ter acontecido, mas vamos desenvolver um protocolo de análise que iremos submeter às autoridades", disse Jérôme Jaton, diretor-geral industrial da Nestlé, numa conferência de imprensa na quarta-feira, citado pela AFP. 


Luxemburgo. Autoridades de saúde preocupadas com intoxicação causada por pizzas da Buitoni
As autoridades de saúde francesas confirmaram, esta quarta-feira, a relação entre as pizzas congeladas da marca e as infeções devido à bactéria E.Coli. O Grão-Ducado já tinha emitido um alerta sobre estes produtos a 20 de março.

Mesmo antes dos resultados das análises, as autoridades sanitárias consideraram  "possível" a ligação entre estas contaminações e as pizzas da gama Fraîch'Up . Sem esperar, lançaram uma recolha das pizzas a 18 de março, pedindo aos consumidores que as deitassem fora se tivessem alguma nos seus congeladores. 

Também o ministério de Saúde do Luxemburgo iniciou os “trabalhos de monitorização” dos produtos nessa data, com a retirada de 6.318 unidades do mercado. “Toda a gama Fraîch’Up (4 Queijos, Bolonhesa, Royale, etc) da Buitoni está afetada no Luxemburgo”, foi referido.

Por sua vez, a Autoridade de Segurança Alimentar publicou um alerta no seu website com informação sobre os lotes e códigos de barras das pizzas que não devem ser consumidas.  

 A Nestlé encerrou, entretanto, duas linhas de produção localizadas em Caudry, França, que fabricam estas pizzas congeladas. Nesta fábrica, foram recolhidas 75 amostras "todas negativas", disse na quinta-feira o diretor-geral de comunicação da Nestlé França, Pierre-Alexandre Teulié. "A prioridade é encontrar a causa da contaminação".

(Com AFP)

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas