Escolha as suas informações

Dia da independência celebrado de forma contida
Sociedade 13 06.07.2020 Do nosso arquivo online

Dia da independência celebrado de forma contida

Carlos Semedo e a presidente da Amizade Cabo-verdiana, Rosi Rodrigues.

Dia da independência celebrado de forma contida

Carlos Semedo e a presidente da Amizade Cabo-verdiana, Rosi Rodrigues.
Foto: Associação Amizade Cabo-verdiana
Sociedade 13 06.07.2020 Do nosso arquivo online

Dia da independência celebrado de forma contida

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
Os cabo-verdianos no Luxemburgo assinalaram no domingo o 45° aniversário de independência, na sede da Associação Amizade Cabo-verdiana, na capital.

Para o embaixador de Cabo Verde no Luxemburgo, Carlos Semedo, as celebrações deste ano ficam marcadas pelas contingências sanitárias, que forçam a comunidade a adotar "novos hábitos e comportamentos".

No seu discurso, o diplomata sublinhou que o 5 de julho (dia da independência) é um momento para reforçar a união da nação, particularmente neste momento difícil provocado pela pandemia da covid-19.

Carlos Semedo sublinhou, no entanto, que esta celebração é sempre um motivo de "muita alegria e orgulho" para os conterrâneos e "uma oportunidade de afirmar as virtudes de um país e um povo que têm trilhado o seu caminho de desenvolvimento com algum sucesso".

Organizado pela Associação Amizade Cabo-verdiana (deverá reabrir as portas em setembro, dependendo da evolução da situação), o evento contou com pouco mais de 20 pessoas convidadas, como medida de contenção associada à crise pandémica.  

Luxemburgo apoiou Cabo Verde com quase 4ME para combater a covid-19

O Luxemburgo apoiou recentemente Cabo Verde com um total de quase quatro milhões de euros para a luta contra a covid-19 no arquipélago. "É o parceiro bilateral que mais ajudou Cabo Verde contra a pandemia, de forma rápida e eficiente", referiu o embaixador.


Luxemburgo oferece 1,6 milhões para Cabo Verde combater covid-19
O valor disponibilizado vai servir para apoiar os municípios no combate ao novo coronavírus e as famílias mais afetadas pela covid-19.

Segundo Carlos Semedo, e tal como anunicado antes, parte deste montante vai chegar a todos os municípios do país e vai servir também para financiar o trabalho feito por médicos e enfermeiros cubanos na luta contra a pandemia no arquipélago. 

"A crise pandémica vai ter duas grandes implicações em Cabo Verde e em alguns países africanos: na saúde, com impactos orçamentais significativos, e com profundas implicações sociais e económicas", alertou Carlos Semedo.


Comércio local na ilha da Boa Vista.
Cabo Verde vai reduzir a pobreza com ajuda do Luxemburgo
O instrumento pretende apoiar “projetos destinados à luta contra a pobreza e melhoria da qualidade de vida das pessoas” de associações e câmaras municipais, com o Grão-Ducado a contribuir com 2,8 milhões de euros.

A contração económica e a redução da mobilidade entre as ilhas e a nível internacional está a ter um impacto nas empresas e no mercado de trabalho, "sobretudo no Turismo, setor que representa 25% de toda a riqueza anual (de 2019) produzida pelo país", acrescenta o embaixador.

No ano passado, Cabo Verde contabilizou 819 mil turistas, mas com o fecho dos voos internacionais, a queda tem sido brutal. A taxa de desemprego situa-se atualmente no 19,2% bastante superior aos 11,3% registados no final do ano passado.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas