Escolha as suas informações

Desconfinamento. Há truques para habituar os animais de estimação à “nova solidão”
Sociedade 2 min. 21.05.2020

Desconfinamento. Há truques para habituar os animais de estimação à “nova solidão”

Desconfinamento. Há truques para habituar os animais de estimação à “nova solidão”

Pixabay
Sociedade 2 min. 21.05.2020

Desconfinamento. Há truques para habituar os animais de estimação à “nova solidão”

Depois de semanas de confinamento, é altura de reeducar os animais para os hábitos anteriores à pandemia.

Numa altura em que muitos trabalhadores estão a ser incentivados a voltar ao escritório, a ausência repentina dos “donos” pode desorientar os animais de estimação. 

Especialista em comportamento animal a francesa Sandrine Nataf-Otsmane tem dedicado as últimas publicações do blog ‘chienchatmodedemploi’ ao assunto. Há vários truques e dicas para habituar cães e gatos aos hábitos anteriores à pandemia. "O dono tem de voltar à estrada e encontrar uma rotina que seja calmante para o animal”, resume.

“Como se não fosse nada”

Nada deve indicar ao seu companheiro que a sua ausência vai ser longa. Assim, evite despedidas longas, grandes abraços e aquelas festas que só costuma fazer-lhe quando tem intenção de sair de manhã e voltar ao anoitecer. 

"Não fazer deste momento um momento memorável para o cão é a chave para o sucesso", complementa o site da associação de apoio aos animais, Wamiz que recomenda uma espécie de tempo mínimo de preparação do animal neste regresso a um dia-a-dia mais solitário. 

Apesar dos gatos serem menos dependentes que os cães, o período de recomendado de 15 dias também se aplica. "Não espere até voltares ao trabalho, será demasiado difícil para ele. Se esteve este tempo a ser mimado por todos, reagirá muito mal quando vir a casa vazia de todos os seres humanos numa bela manhã”. 

Gradual

Não tem propriamente de sair de casa para preparar o seu animal doméstico a estar sozinho. Pode começar por deixá-lo mais tempo dentro de casa, enquanto está a fazer as suas atividades no terraço ou mesmo na varanda e fazer o processo inverso quando está a realizar algumas tarefas domésticas. 

No caso de estar em teletrabalho pode antecipar alguns destes passos. Se está na sala, pode deixá-lo por curtos períodos na cozinha ou no quarto. O importante é evitar mudanças bruscas que possa causar alguma ansiedade. Em excesso, o stress pode culminar em perda de peso e outras transformações comportamentais como ladrar ou miar com demasiada frequência. 

Risco de tédio 

Evitar estes e outros comportamentos está integralmente nas suas mãos. Quando está sozinho, o animal passa grande parte do tempo a dormir mas para isso precisa de ser estimulado. 

Neste sentido, é imperativo levar o seu cão à rua, pelo menos, "duas vezes por dia", como redomenda Sandrine Nataf-Otsmane. Brincar e estimular o seu gato também ajuda a cansá-lo.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.