Escolha as suas informações

Deputados questionam venda de leite achocolatado nos liceus
Sociedade 22.10.2020

Deputados questionam venda de leite achocolatado nos liceus

Deputados questionam venda de leite achocolatado nos liceus

Foto: Anouk Antony/Luxemburger Wort
Sociedade 22.10.2020

Deputados questionam venda de leite achocolatado nos liceus

Diana ALVES
Diana ALVES
O leite achocolatado à disposição dos alunos nas escolas secundárias do Luxemburgo continua a ser pago. É um esclarecimento dos ministros da Educação, Claude Meisch, e da Agricultura, Romain Schneider, no seguimento de uma questão parlamentar do partido Déi Gréng.

Na resposta aos deputados Djuna Bernard e François Benoy, os ministros adiantam que, apesar de muitas escolas oferecerem gratuitamente leite simples aos alunos desde o final do confinamento, o achocolatado continua a ser pago. Para que o leite possa ser distribuído de forma gratuita, os estabelecimentos de ensino têm de garantir uma porção diária a cada estudante. Os ministros acrescentam, aliás, que o preço do leite achocolatado aumentou dez cêntimos, sendo que um pacote de 0,25L custa agora setenta cêntimos. 

Na questão dirigida a Meisch e Schneider, os deputados ecologistas destacavam o facto de o leite achocolatado conter açúcares adicionados e questionavam os ministros se ter este produto à disposição dos alunos não vai contra os programas criados pelo Governo de promoção de uma alimentação saudável e prevenção da obesidade. Um deles diz respeito ao 'Schoulmëllech & Schouluebst' ('Leite na escola & Fruta na escola', em português), que visa distribuir leite e fruta pelas escolas participantes de forma gratuita ou a preço reduzido. 


Um terço do leite distribuído nas escolas luxemburguesas é biológico
Um terço do leite distribuído nas escolas luxemburguesas é biológico, de acordo com os ministros da Educação, Claude Meisch, e da Agricultura, Romain Schneider.

Na resposta, Meisch e Schneider indicam que as escolas que oferecem leite achocolatado ao abrigo daquele programa estão obrigadas a oferecer também leite simples, embora reconheçam que, no final das contas, é o aluno quem escolhe. Os ministros frisam igualmente que, nas escolas onde não há leite gratuito, a versão com chocolate é pelo menos vinte cêntimos (0,20€/0,25L) mais cara do que o leite simples e que as escolas e os fornecedores são obrigados a colocar o leite simples em destaque nas máquinas de venda automática.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas