Escolha as suas informações

'Covid check'. Ainda sem vacina, jovens vão ser privilegiados em campanhas de rastreio e testes
Sociedade 2 min. 09.06.2021

'Covid check'. Ainda sem vacina, jovens vão ser privilegiados em campanhas de rastreio e testes

'Covid check'. Ainda sem vacina, jovens vão ser privilegiados em campanhas de rastreio e testes

Foto: Anouk Antony
Sociedade 2 min. 09.06.2021

'Covid check'. Ainda sem vacina, jovens vão ser privilegiados em campanhas de rastreio e testes

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
A faixa etária dos 18 e 30 anos de idade ainda não está incluída no processo de vacinação atual do Luxemburgo, por isso vai ser alvo de especial atenção nas campanhas de rastreio e na obtenção dos certificados de teste.

A aprovação do 'covid check', o passaporte que atesta a imunidade contra a covid-19, ou não infeção pelo vírus SARS-Cov-2, estará para breve, mas os jovens adultos começam o verão sem poder beneficiar já dela. 

A faixa etária dos 18 e 30 anos de idade ainda não está incluída na campanha de vacinação atual, estando, por isso, impossibilitada de apresentar o respetivo certificado que promete dar acesso a um conjunto de serviços e atividades de cultura e lazer sem muitas das restrições atuais.

Como vai ser tratado este segmento da população, ainda privado da vacina foi uma das questões colocadas, ontem, na Comissão de Saúde, a Paulette Lenert.

Segundo explicou a ministra da Saúde, refere a informação do site da Câmara dos Deputados, as pessoas dessas faixas etárias serão mais consideradas para as campanha de rastreio e para a obtenção de um certificado do teste covid. 

Apesar de ainda não terem tomado a vacina, os jovens adultos não estão impedidos de obter um certificado covid check, onde possa ser incluída outra informação do seu estado face à covid-19. Além do certificado de teste, Paulette Lenert lembrou que uma pessoa que for considerada como tendo recuperado da infeção pelo novo coronavírus, terá essa informação incluída no covid check.

Recorde-se que este certificado será também integrado no certificado digital europeu que poderá, a partir de 1 de julho, ser usado nas viagens entre os países europeus.

Neste âmbito foram avançadas, na semana passada, algumas exceções para os mais novos, que deverão ser os últimos a ser chamados para a vacinação, caso esta avance para adolescentes a partir dos 12 anos, como já acontece em alguns países e como deverá acontecer também no Grão-Ducado.

Quem regressar das chamadas "zonas vermelhas escuras", áreas com elevado número de infeções ou com a presença de variantes particularmente graves, poderá ter de fazer quarenta, mas crianças com pais já vacinados e menores de seis ficam isentas.  As mais novas, com seis anos ou menos, também ficam isentas de fazer teste PCR ou teste rápido.

Estes foram alguns dados fornecidos no encontro da passada quinta-feira, entre a ministra da Saúde, Paulette Lenert, e o comissário Europeu para a Justiça, Didier Reynders, segundo noticiou a RTL.

O Contacto questionou o Ministério da Saúde sobre até que idade estão isentos  dessas quarentenas os filhos de pais já vacinados e se essas quarentenas têm de ser cumpridas por todos os adultos, independentemente do grau de imunização (duas doses da vacina tomadas ou apenas uma dose, e recuperação de infeção) atestado pelo futuro certificado.

Na resposta, o Ministério remeteu mais pormenores para breve, assinalando que "estas questões estão ainda em discussão na Comissão da Câmara dos Deputados". "Os pormenores serão comunicados oportunamente, possivelmente após a lei ter sido aprovada", refere a nota enviada ao Contacto.

A lei deverá ser aprovada no final desta semana e entrar em vigor a partir de 13 de junho.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas