Escolha as suas informações

Covid-19. Suspenso estudo sobre vacina da AstraZeneca em menores
Sociedade 3 min. 07.04.2021

Covid-19. Suspenso estudo sobre vacina da AstraZeneca em menores

Covid-19. Suspenso estudo sobre vacina da AstraZeneca em menores

Foto: AFP
Sociedade 3 min. 07.04.2021

Covid-19. Suspenso estudo sobre vacina da AstraZeneca em menores

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Ensaio que decorrer no Reino Unido está interrompido enquanto é aguardada a conclusão da avaliação do regulador do medicamento britânico obre uma possível ligação entre a vacina da AstraZeneca e casos de tromboembolias fatais.

O estudo em crianças da vacina contra a covid-19 da Astrazeneca foi suspenso. A decisão foi tomada depois da autoridade reguladora do medicamento britânica ter anunciado a investigação de casos raros de coágulos de sangue em adultos após a toma da vacina. 

Segundo a Bloomberg, os investigadores envolvidos no estudo aguardam os resultados da avaliação da Agência Reguladora dos Medicamentos e Produtos de Saúde (MHRA, na sigla original) do Reino Unido "antes de prosseguir com a vacinação", disse, numa declaração escrita, a universidade de Oxford, parceira da farmacêutica no desenvolvimento da vacina.

 No sábado, o regulador britânico anunciou que tinha identificado 30 casos de uma combinação rara de coágulos de sangue e plaquetas baixas em pessoas que tinham recebido a vacina da Astrazeneca no Reino Unido, até ao passado dia 24 de março. Dessas 30 pessoas, sete morreram.    

Apesar da suspensão, a instituição garantiu que não surgiram problemas de segurança no ensaio, que abrange crianças e adolescentes.


Covid-19. Sete mortos no Reino Unido após vacinação com AstraZeneca
Num comunicado enviado à agência France-Presse, a Agência Reguladora de Medicamentos e Cuidados de Saúde do Reino Unido diz que sete pessoas morreram de coágulos sanguíneos, num total de 30 casos identificados até agora.

Em fevereiro, quando iniciou o estudo, Oxford anunciava que planeava inscrever no ensaio um grupo voluntário de 300 crianças e adolescentes, com idades entre os 6 e os 17 anos.

Na investigação, estava previsto que cerca de 240 participantes recebessem a vacina contra o coronavírus e os restantes uma vacina contra a meningite. A previsão de divulgação dos primeiros dados iniciais estava apontada para este verão.

Paralelamente, estava também planeado iniciar nos próximos meses um ensaio maior, com crianças, nos Estados Unidos, semelhante aos realizados pela Pfizer e pela Moderna. 

Reino Unido antecipa vacina da Moderna

Esta terça-feira, a estação de TV Channel 4 avançou que o MHRA estava a ponderar recomendar que a vacina AstraZeneca não seja inoculada em jovens, com menos de 30 anos, não havendo, contudo, nenhuma confirmação oficial até à data.  

Com questões a serem novamente levantadas sobre a segurança da vacina AstraZeneca, o Reino Unido começou a lançar a inoculação com o fármaco da Moderna já esta quarta-feira, antes do calendário previsto. 

Além desta, o país está também a imunizar os cidadãos com a vacina da Pfizer/BioNTech.

Europa aguarda decisão do EMA

 A decisão de Oxford de suspender o ensaio da AstraZeneca com menores, no Reino Unido, surge também numa altura em que o regulador de fármacos da União Europeia, a Autoridade Europeia do Medicamento (EMA), está prestes a fornecer uma avaliação atualizada da segurança da vacina. As conclusões serão anunciadas esta quarta-feira à tarde.


AstraZeneca. Ascensão e má fama
De melhor esperança contra a covid-19 à luta da Europa pelas doses contratadas. A vacina que deixa o mundo está em suspenso: provoca coágulos mortais ou não?

A atualização prevista pela EMA pode indicar uma potencial ligação entre a vacina do fabricante do medicamento e os coágulos de sangue, segundo deu a entender, em declarações ao jornal italiano Il Messaggero, esta terça-feira, Marco Cavaleri, presidente da equipa de avaliação de vacinas da EMA.

Embora os comentários do responsável tenham sido feitos a título pessoal e não vinculem oficialmente a EMA, a última declaração da entidade, de 31 de março, avança que será emitida uma recomendação atualizada sobre o assunto após a reunião geral de especialistas, que acontece esta semana. 

Apesar de nessa declaração, a autoridade europeia manter que os benefícios da vacina da AstraZeneca  - agora designada de Vaxzevria - são superiores aos riscos e referir que a revisão de avaliação "não identificou quaisquer fatores de risco específicos, como idade, sexo ou historial médico anterior de doenças de coagulação, para estes casos muito raros", a entidade não descarta a possibilidade de uma relação entre a vacina e esses casos. "Não está provada uma relação causal com a vacina, mas é possível e a análise posterior prossegue", afirma a EMA.

Independentemente dessa avaliação e face ao crescente número de relatos de coágulos cerebrais raros em adultos mais jovens, vários países europeus, como a França, Alemanha e Países Baixos, decidiram suspender nos grupos etários abaixo dos 60 anos.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

AstraZeneca. Ascensão e má fama
De melhor esperança contra a covid-19 à luta da Europa pelas doses contratadas. A vacina que deixa o mundo está em suspenso: provoca coágulos mortais ou não?