Escolha as suas informações

Covid-19. "Será irrealista pensar que vamos acabar com este vírus até ao final do ano"
Sociedade 2 min. 02.03.2021

Covid-19. "Será irrealista pensar que vamos acabar com este vírus até ao final do ano"

Covid-19. "Será irrealista pensar que vamos acabar com este vírus até ao final do ano"

Foto: AFP
Sociedade 2 min. 02.03.2021

Covid-19. "Será irrealista pensar que vamos acabar com este vírus até ao final do ano"

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
A afirmação é do diretor da OMS Michael Bryan, lembrando que há países onde a doença está a aumentar. As variantes e o relaxamento das medidas podem ser as causas.

Um ano depois com 114 milhões de pessoas infetadas, 2,5 milhões de mortos depois, e a vacinação ainda na primeira fase que perspetivas tem a Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o fim da pandemia?  Não são boas. 

“Acho que será muito prematuro, e irrealista, pensar que vamos acabar com este vírus até o final deste ano", declarou Michael Ryan, diretor executivo do Programa de Emergências de Saúde da OMS, numa conferência de imprensa realizada ontem.

Contudo, “se formos inteligentes podemos acabar com as hospitalizações, mortes e a tragédia que esta pandemia tem feito”, vincou.

Segundo este responsável há duas situações “a de o vírus controlar e a de nós controlarmos o vírus e ainda estamos na primeira situação”, admitiu.

Contudo, “estamos melhor do que estávamos, mas nada está garantido”, considerou. “Nas últimas semanas a situação melhorou, com avanços na vacinação, mas por outro lado, a doença aumentou em certos países”, lembrou este responsável. A Europa é uma das regiões mundiais onde se verificam estes aumentos.


Centro de testes covid-19 em Belval.
Testes em larga escala evitaram cerca de 1.800 infeções
Esta é a principal conclusão de um estudo recente elaborado pela 'taskforce Covid-19'.

Pessoas estão a "baixar a guarda"

Para o secretário-geral da OMS, Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus também presente na conferência de imprensa o crescimento de infeções deve-se, sobretudo a dois fatores: “ao relaxamento das medidas de saúde públicas, à circulação contínua de variantes e ao baixar da guarda dos gestos barreira das pessoas”. Ghebreyesus adiantou que a OMS está a estudar as causas deste aumento preocupante, mas que não apanhou os responsáveis de surpresa.

As medidas básicas de saúde pública continuam a ser a melhor reposta à prevenção, alertou este responsável máximo da OMS.

Até na vacinação, a arma para combater a pandemia existem dificuldades: “Ainda enfrentamos um grande desafio para distribuir vacinas de maneira equitativa e justa para aqueles que mais precisam delas no mundo", frisou por sua vez, Michael Ryan.


Enviados os primeiros convites para vacinação abaixo dos 65 anos
Ministério da Saúde anunciou esta segunda-feira o início da fase 5, os convites a pessoas com menos de 65 anos começaram a ser enviados. Estes vão receber a vacina da AstraZeneca.

Vacinar mais e mais rápido

É necessário vacinar e vacinar o mais rapidamente possível para que esta imunização possa começar a ter impacto e “se ela tiver impacto não apenas nas mortes e nas hospitalizações, mas também na dinâmica da transmissão e diminuir o risco de transmissão, então acredito que vamos acelerar o controlo da pandemia”, declarou este diretor executivo.

O secretário geral da OMS aproveitou ainda a conferência para criticar os “países mais ricos” que em vez de estarem a vacinar os mais velhos e os profissionais de saúde em primeiro lugar”, os grupos prioritários, estão a “administrar as vacinas aos adultos jovens e que possuem menores riscos”.

Para a OMS já que será impossível vencer a pandemia este ano, há que fazer tudo para acabar com a fase aguda da covid-19. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas