Escolha as suas informações

Covid-19. Reino Unido entrou em confinamento
Sociedade 2 min. 24.03.2020

Covid-19. Reino Unido entrou em confinamento

Covid-19. Reino Unido entrou em confinamento

Foto: AFP
Sociedade 2 min. 24.03.2020

Covid-19. Reino Unido entrou em confinamento

Telma MIGUEL
Telma MIGUEL
Após pressão interna, Boris Johnson decreta proibição de deslocações e polícia nas ruas.

Após mais de uma semana de pressão, incluindo do seu próprio gabinete, para que o primeiro-ministro inglês tomasse medidas semelhantes às que estão a ser implementadas noutros países da União Europeia, ontem à noite Boris Johnson anunciou um lockdown (confinamento, em portuguêspara o Reino Unido, com efeito a partir da meia-noite desta terça-feira.

Estudos publicados esta semana, indicam que a falta de medidas coercivas no Reino Unido poderão conduzir a uma situação semelhante à italiana, com os serviços de saúde em colapso e centenas de mortos diariamente.


Covid-19. Epidemia no Reino Unido poderá ser pior do que em Itália
A taxa de letalidade já é superior à italiana e curva do contágio pelo coronavírus também está a aumentar mais. Especialistas temem que daqui a três semanas a situação no país seja mais grave do que em Itália.

Numa mensagem televisiva à nação, Boris Johnson, que tem sido duramente criticado por andar em contracorrente dos outros países e por emitir recomendações contraditórias, foi ontem explícito: "Fiquem em casa". O governante salientou ainda que a polícia estará nas ruas a garantir o cumprimento rígido das medidas que incluem a proibição de ajuntamentos públicos de mais de duas pessoas e o fecho de todo o comércio não essencial.

As regras incluem proibição de sair de casa a não ser para comprar bens essenciais – comida e medicamentos – fazer exercício (solitariamente) apenas uma vez por dia, deslocações por motivos de saúde e para trabalhar (se o teletrabalho for impossível). Todo o comércio não essencial encontra-se encerrado.

Johnson foi igualmente claro em relação às atividades sociais. "Não devem encontrar-se com amigos. Se forem convidados devem recusar. Não devem visitar familiares. Devem sair para fazer compras o mínimo de vezes possível".


Mundo de quarentena mas Reino Unido 'keeps calm and carries on'
Metros em Londres cheios e a vida como sempre. Nos cenários oficiais 318 mil a meio milhão de pessoas poderão morrer nos próximos meses.

A decisão segue-se à pouca eficácia do fecho de pubs, restaurantes e sítios de lazer no fim de semana. "Este fim de semana os parques estavam cheios de gente como se não se tivesse passado nada. O Hyde Park estava como sempre a um domingo de sol", relata Joana Silva, residente em Londres. Quanto à necessidade de distanciamento social recomendada pelo governo inglês tem sido impossível para os que trabalham, uma vez que mesmo com o fecho de 40 estações do metro decretada pelo mayor de Londres, na passada semana, as carruagens mantêm-se sobrelotadas. Na manhã desta terça-feira havia imagens de carruagens cheias de gente.

O estado de confinamento no Reino Unido segue o que está a acontecer um pouco por todo o mundo. Cerca de 20% da população mundial encontra-se neste momento sujeita a confinamento doméstico.

Esta terça-feira, 24 de março, o Reino Unido registava 6.726 casos e 335 mortes.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas