Escolha as suas informações

Reino Unido deve atrasar desconfinamento por mais um mês
Sociedade 14.06.2021
Covid-19

Reino Unido deve atrasar desconfinamento por mais um mês

Covid-19

Reino Unido deve atrasar desconfinamento por mais um mês

Benoit Doppagne/BELGA/dpa
Sociedade 14.06.2021
Covid-19

Reino Unido deve atrasar desconfinamento por mais um mês

AFP
AFP
O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, deverá adiar o levantamento das restrições anticovid-19, previsto inicialmente para dia 21 de junho, seguindo o conselho de um grupo de cientistas britânicos que estão preocupados com a propagação da variante Delta.

A nova data apontada pela imprensa britânica é agora de 19 de julho, mais quatro semanas após a data inicialmente prevista pelo Governo britânico. A decisão será votada pela Câmara dos Comuns (câmara baixa do Parlamento britânico) ainda este mês com o objetivo de validar o adiamento. 

O próprio Boris Johnson deverá confirmar este adiamento ainda esta segunda-feira. A confirmar-se, só em julho estará completa a última etapa do desconfinamento no Reino Unido, que inclui a reabertura de discotecas, realização de casamentos e outros eventos sem um limite máximo de pessoas.

No sábado passado, Johnson advertiu que a propagação da variante Delta no Reino Unido era "de grande preocupação" e repetiu que queria adotar uma abordagem cautelosa e "irreversível" para o novo desconfinamento. 

Cerca de 60% mais contagiosa que a variante Alfa, que surgiu em Inglaterra, a variante Delta (que nasceu na Índia) é agora dominante no Reino Unido, que conta com quase 128 mil mortes. 


Polícias indianos com capacetes ilustrativos do SARS-CoV-2 para sensibilizar a população para a adoção das medidas sanitárias.
Alpha, Beta, Gama, Delta. As novas designações das variantes do SARS-CoV-2
Alteração dos nomes das variantes pela OMS pretende evitar a designação "estigmatizante e discriminatória" pelo local onde foram detetadas.

Após um longo confinamento no inverno e o avanço rápido da campanha de vacinação, o Executivo tem gradualmente eliminado as restrições contra a pandemia. Mas nos últimos dias as novas infeções começaram novamente aumentar e ultrapassam agora os sete mil novos casos diários. 

Mais de 41,5 milhões de pessoas - quase 79% da população adulta - receberam uma primeira dose de vacina e 29,8 milhões de pessoas - cerca de 56,6% da população adulta, têm agora a vacinação completa. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas