Escolha as suas informações

Covid-19. Oposição espanhola questiona como é possível Portugal ter apenas 700 mortos
Sociedade 3 min. 22.04.2020 Do nosso arquivo online

Covid-19. Oposição espanhola questiona como é possível Portugal ter apenas 700 mortos

Covid-19. Oposição espanhola questiona como é possível Portugal ter apenas 700 mortos

AFP
Sociedade 3 min. 22.04.2020 Do nosso arquivo online

Covid-19. Oposição espanhola questiona como é possível Portugal ter apenas 700 mortos

Lusa
Lusa
Espanha regista quase 22 mil mortos, segundo dados oficiais. O Partido Popular levou o assunto ao parlamento.

(Notícia atualizada a 23 de abril às 11:15, onde se acrescenta a aprovação parlamentar do prolongamento do estado de emergência em Espanha.)

O líder da oposição espanhola, Pablo Casado, do Partido Popular (direita), questionou hoje o primeiro-ministro, Pedro Sánchez, como era possível Portugal, mesmo ao lado, ter apenas 700 vítimas mortais enquanto Espanha 20.000, devido ao novo coronavírus.

"Como é possível que Portugal tenha tido [apenas] 700 vítimas mortais e nós mais de 20.000, se partilhamos uma fronteira comum?", perguntou Casado a Sánchez durante o debate no parlamento sobre a prorrogação do estado de emergência em Espanha.

O líder do PP foi muito duro nas críticas à forma como o chefe do Governo tem feito a gestão da luta contra o novo coronavírus. Pablo Casado revelou durante o debate que iria apoiar a terceira prorrogação do estado de exceção, mas instou Sánchez a governar "com firmeza e determinação", para resolver a crise e "aproveitar" os próximos quinze dias, porque "a paciência dos espanhóis também tem um limite".

A alusão a Portugal não foi a única feita no debate, tendo a líder parlamentar do PSOE (Partido Socialista Operário Espanhol), Adriana Lastra, mencionado a carta que o líder da oposição portuguesa, Rui Rio, do PSD, reiterou em mensagem aos militantes do seu partido a sua atitude de colaboração com o governo socialista.

Portugal registou 785 mortos associados à covid-19, enquanto a Espanha 21.717, segundo dados oficiais recentes divulgados pelas respetivas autoridades sanitárias. Espanha tem cerca de 45 milhões de habitantes, enquanto Portugal cerca de 10. Uma diferença que, mesmo assim, não esconde a grande diferença de óbitos verificada em cada um dos países.

Espanha é o segundo país com mais mortos com a pandemia por cada milhão de habitantes (464 óbitos), depois da Bélgica (540) e antes da Itália (408) e França (319), numa lista em que os Estados Unidos têm 137 e Portugal 77.

Parlamento espanhol autoriza prolongamento do estado de emergência

O parlamento espanhol aprovou no mesmo dia o prolongamento do estado de emergência até 9 de maio. Numa votação em que a maioria dos membros da assembleia participou a partir de casa, por meios telemáticos, 269 deputados, num total de 350, votaram a favor da proposta feita pelo governo de coligação minoritário liderado pelo socialista Pedro Sánchez.

O primeiro-ministro espanhol teve um pouco menos de apoios do que há quinze dias atrás, quando pediu pela segunda vez a dilatação do estado de emergência.  Pedro Sánchez referiu que o governo terá, muito provavelmente, de voltar a ter de fazer "retificações" durante as próximas semanas, porque o coronavírus é apenas "a ponta do icebergue", mostrando-se convencido de que tomará decisões que poderá vir a reverter posteriormente, o que não é "um sintoma de desgoverno".

A Espanha é um dos países mais atingidos pela pandemia da covid-19 que a nível global, segundo um balanço da AFP, já provocou cerca de 178 mil mortos e infetou mais de 2,5 milhões de pessoas em 193 países e territórios. 

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (45.075) e mais casos de infeção confirmados (mais de 825 mil). Seguem-se Itália (24.648 mortos, em quase 184 mil casos), Espanha (21.717 mortos, mais de 208 mil casos), França (20.796 mortos, mais de 158 mil casos) e Reino Unido (17.337 mortos, mais de 129 mil casos). Mais de 583 mil doentes foram considerados curados. 

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China. Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.

Face a uma diminuição de novos doentes em cuidados intensivos e de contágios, alguns países começaram entretanto a desenvolver planos de redução do confinamento e em alguns casos, como Dinamarca, Áustria, Espanha ou Alemanha, a aliviar algumas das medidas.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Covid-19. Santos Silva rejeita hipótese de encerrar fronteiras
Há duas semanas os chefes dos Governos de Portugal e Espanha afastaram essa possibilidade, mas a situação pandémica tem vindo a agravar-se e hoje o Pedro Sánchez admitiu que o número real de casos de infeção no seu país seja o triplo dos dados oficiais.