Escolha as suas informações

Covid-19. Governo procura alternativas para aliviar saturação dos laboratórios
Sociedade 2 min. 15.10.2020

Covid-19. Governo procura alternativas para aliviar saturação dos laboratórios

Covid-19. Governo procura alternativas para aliviar saturação dos laboratórios

Foto: Chris Karaba
Sociedade 2 min. 15.10.2020

Covid-19. Governo procura alternativas para aliviar saturação dos laboratórios

Susy MARTINS
Susy MARTINS
O Governo apresentou novas medidas para aliviar a saturação nos laboratórios que estão a efetuar os testes de despistagem à covid-19. O número de pedidos de despistagem tem aumentado devido às doenças relacionadas com a chegada do inverno.

Com o frio a instalar-se no Luxemburgo há cada vez mais pessoas doentes. Dor de garganta, de cabeça, febre, constipações e tosse. Sintomas comuns no inverno, mas que com o aumento de casos de covid-19 têm dado mais dores de cabeça aos laboratórios. 

Em caso de suspeita, a recomendação do Ministério da Saúde é de consultar o médico de família, a quem cabe depois decidir se o paciente deve ou não efetuar um teste de despistagem. É o que muita gente tem feito nos últimos dias, sendo que os médicos, como medida de precaução, preferem passar uma receita médica para a realização de teste à covid-19.

A Rádio Latina teve conhecimento de vários casos de pessoas que, mesmo com receita médica, tiveram de esperar vários dias para poderem fazer o teste à covid-19 num dos laboratórios. Um dos exemplos é o de uma jovem de 15 anos que ligou na quarta-feira para um laboratório no norte do país e que só conseguiu marcação para a próxima segunda-feira. O tempo de espera neste caso é de cinco dias. Um caso semelhante aconteceu com uma trabalhadora do setor financeiro (Ana), que teve de esperar três dias para poder fazer o teste à covid-19, mesmo com receita médica. A espera deixa a paciente e os colegas angustiados.

Este é, de resto, um problema conhecido pelo Ministério da Saúde, que está a tentar inverter a situação. A ministra, Paulette Lenert, anunciou que as autoridades vão introduzir dois novos meios para detetar mais rapidamente a presença do novo coronavírus. 


"Não existe tratamento para as sequelas da covid-19 neste momento"
Vitor Tedim Cruz, investigador que lidera um estudo sobre os efeitos da doença explica em entrevista quais as sequelas mais frequentes e revela as muitas incógnitas futuras sobre o vírus.

A introdução de "testes de despistagem com resultados rápidos" é uma das medidas apontadas pelo governo para aliviar a sobrecarga dos laboratórios. Este tipo de teste já está disponível no meio hospitalar e é possível saber o resultado em 15 minutos. Segundo o diretor da Saúde, Jean-Claude Schmit, estes testes não são fiáveis a 100%, sendo que para já não substituem os testes PCR. Poderão apenas dar uma indicação, evitando assim uma sobrecarga de trabalho aos laboratórios. 

A segunda medida prende-se com a criação de um 'drive-in' para as pessoas com receita médica para o teste à covid-19. O objetivo é evitar as filas de espera para marcações no laboratório e separar as pessoas potencialmente infetadas daquelas que participam nos testes de despistagem em larga escala. A ministra não deu, no entanto, data para a introdução do 'drive-in', sabendo-se para já que a ideia está a ser estudada.

(Susy Martins, jornalista do Contacto e Rádio Latina)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas