Escolha as suas informações

Covid-19. Auchan oferece bónus de 1000 euros aos trabalhadores em França
Sociedade 3 22.03.2020

Covid-19. Auchan oferece bónus de 1000 euros aos trabalhadores em França

Covid-19. Auchan oferece bónus de 1000 euros aos trabalhadores em França

AFP
Sociedade 3 22.03.2020

Covid-19. Auchan oferece bónus de 1000 euros aos trabalhadores em França

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
O valor adicional, livre de impostos, destina-se a "premiar" os 65 mil funcionários franceses, que continuam a ir trabalhar para os supermercados, mesmo em tempo de epidemia.

A cadeia de supermercados Auchan vai conceder um bónus de 1000 euros aos seus empregados "pelo seu empenho excecional", em continuarem a ir trabalhar, apesar da atual situação de pandemia do coronavírus, em França, anunciou este domingo a empresa.

A administração da Auchan Retail vinca que é "graças ao esforço contínuo dos seus empregados que trabalham nas lojas, nos serviços de recolha e entrega que a cadeia tem conseguido permanecer aberta". 

"Para uma situação excecional, esforço excecional... e prémio excecional", declarou Edgar Bonte, presidente do Auchan Retail citado pela France3.

Sugestão do ministro

A oferta deste prémio pela Auchan Retail surge como resposta ao apelo de Bruno Le Marie, o Ministro do Economia francês, que há dois dias pediu às empresas francesas que oferecem tal recompensa, livre de impostos, aos seus trabalhadores que continuam a deslocar-se para o local de trabalho. 


Covid-19. Transfronteiriços franceses sem limite de dias para teletrabalho
Devido à pandemia, Luxemburgo e França chegaram a acordo para os trabalhadores transfronteiriços franceses poderem trabalhar em casa, para lá dos 29 dias, sem limite definido e até nova ordem.

Um bónus de mil euros aos "mais expostos" e que desempenham o seu trabalho "às vezes com um nó no estômago", causado pelo medo, declarou o ministro.

Na verdade, e como lembra a imprensa francesa este bónus, sugerido por Bruno Le Marie é o 'bónus de Macron', adotado pela primeira vez, pelas empresas, em 2019, e oferecido aos trabalhadores, como resposta ao movimento dos coletes amarelos. Perante o sucesso da medida, que pode ir até aos mil euros, o governo propôs às empresas manterem esse prémio para aumentar o poder de conta dos funcionários. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.