Escolha as suas informações

Corpo de Diana vai ser transportado para o Luxemburgo para nova autópsia
Sociedade 5 min. 21.10.2022
Exclusivo

Corpo de Diana vai ser transportado para o Luxemburgo para nova autópsia

Diana Santos tinha 40 anos e era natural do Porto.
Exclusivo

Corpo de Diana vai ser transportado para o Luxemburgo para nova autópsia

Diana Santos tinha 40 anos e era natural do Porto.
Foto: DR
Sociedade 5 min. 21.10.2022
Exclusivo

Corpo de Diana vai ser transportado para o Luxemburgo para nova autópsia

Tiago RODRIGUES
Tiago RODRIGUES
Só depois das perícias médico-legais no Grão-Ducado é que o corpo será trasladado para a família em Portugal, segundo apurou o Contacto.

(Notícia atualizada às 9h25 com novas declarações do pai de Diana)

O corpo de Diana Santos ainda se encontra em França. O Contacto conseguiu apurar que as autoridades luxemburguesas solicitaram, na semana passada, que o corpo fosse transportado de Nancy para o Grão-Ducado, para nova autópsia. Os devidos procedimentos estão a decorrer. Só depois é que os restos mortais serão enviados para a família, em Portugal, o que deverá acontecer nas próximas semanas.


Quem matou Diana? A história por detrás do crime
Um homem foi detido por homicídio premeditado. Mas ainda há muitas perguntas sem resposta. O mistério da morte de Diana Santos continua por resolver.

Tanto o pai como o irmão de Diana afirmam que continuam sem saber quando é que o corpo será trasladado para Portugal, para poderem realizar o funeral. O pai, Horácio Santos, diz que recebeu, por parte do cônsul honorário do Luxemburgo no Porto, António Oliveira, a garantia de que "tratariam do transporte quando o corpo fosse liberado pelas autoridades do Luxemburgo".

O progenitor criticou a comunicação tardia por parte das autoridades e a falta de apoio aos familiares de Diana. "As autoridades portuguesas só comunicaram o falecimento da minha filha há dois dias através da polícia judiciária. Ainda não se preocuparam em dar qualquer tipo de ajuda psicológica à familia que está a sofrer. Lamentável", declarou ao Contacto, na quinta-feira.

O Contacto questionou o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas sobre o assunto, mas não obteve resposta até ao momento. Também abordou as autoridades luxemburguesas e francesas para saber se os outros membros do corpo já foram encontrados - os membros inferiores tinham sido cortados ao nível dos joelhos, não havia braços, nem cabeça. 

Tanto o Ministério Público de Diekirch, que está a investigar o caso, como o Ministério Público de Nancy, encarregue da investigação inicial, responderam que nesta fase não podem avançar mais informações.

O corpo desmembrado de Diana foi encontrado no dia 19 de setembro, atrás de um edifício abandonado, em Mont-Saint-Martin, comuna francesa junto à fronteira com o Luxemburgo. 


Diana tinha 40 anos e era natural do Porto.
O último dia de vida de Diana. Revelações exclusivas do namorado
Namorado de Diana revela, em exclusivo ao Contacto, o que sabe sobre o último dia de vida da portuguesa.

O cadáver foi autopsiado no instituto forense de Nancy. Não apresentava hematomas visíveis, nem sinais de ferimentos de bala ou faca ou violência sexual. Não havia vestígios de sangue nem estava em degradação profunda, levando as autoridades a crer que terá sido desmembrado noutro local e que a mulher terá sido morta nas 24 horas antes de o corpo ser encontrado.

A identidade da vítima só foi confirmada uma semana depois, através das duas tatuagens encontradas no tronco: uma com um punhal e uma rosa e outra com o nome 'Kiko'. Foi o ex-companheiro de Diana, João Oliveira, que reconheceu a tatuagem através das imagens divulgadas pelo procurador de Nancy dias antes. O Contacto viria a confirmar, no dia 3 de outubro, através do Ministério Público do Luxemburgo, que a mulher era portuguesa e vivia no Grão-Ducado.

Um suspeito detido

Desde então, o caso tem sido investigado pelo Parquet de Diekirch. Até ao momento, apenas um suspeito está preso. Said Banhakeia, marroquino de 48 anos, foi detido no dia 6 de outubro pela polícia judiciária luxemburguesa e está em prisão preventiva na penitenciária de Schrassig. É acusado de homicídio "com premeditação" e considerado pelas autoridades o principal suspeito do crime, apurou o Contacto.


Quem é o principal suspeito do homicídio de Diana Santos?
De nacionalidade marroquina é o tio do homem com quem Diana vivia em Diekirch.

O advogado de Said revela que o marroquino se afirma inocente e que não apontou outros nomes de possíveis suspeitos. Daniel Baulisch reconhece que foram encontrados "indícios suficientes" pela polícia para que Said fosse detido e considerado suspeito do crime. Sobre um possível álibi do homem no dia em que Diana foi assassinada, o advogado afirmou que não podia "revelar detalhes".

Quem era Diana Santos?


A casa onde Diana vivia com o alegado marido, em Diekirch, desde julho.
O mistério em volta do alegado marido de Diana
O homem de nacionalidade marroquina, sobrinho do principal suspeito do crime, terá chegado ao Luxemburgo no início deste ano e vivia com Diana numa casa em Diekirch.

Diana Isabel Gomes dos Santos nasceu no dia 17 de outubro de 1981, no Porto. Tinha 40 anos. Cresceu no bairro de São João de Deus, na freguesia de Campanhã. Emigrou com pouco mais de 20 anos para Andorra.

Depois passou pela França e Bélgica, até chegar ao Luxemburgo. Segundo o pai, sempre trabalhou como empregada de balcão e de mesa ou na cozinha. Tinha um filho de 22 anos, o ‘Kiko’ da tatuagem, que foi criado pela avó em Vila do Conde. A família está toda em Portugal. Ela ia lá passar férias praticamente todos os anos.

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas