Escolha as suas informações

Coronavírus. Estudo genético confirma que transmissão aos humanos terá origem em animal selvagem
Sociedade 2 min. 30.01.2020 Do nosso arquivo online

Coronavírus. Estudo genético confirma que transmissão aos humanos terá origem em animal selvagem

Coronavírus. Estudo genético confirma que transmissão aos humanos terá origem em animal selvagem

AFP
Sociedade 2 min. 30.01.2020 Do nosso arquivo online

Coronavírus. Estudo genético confirma que transmissão aos humanos terá origem em animal selvagem

Lusa
Lusa
O estudo sugere que o vírus terá sido transmitido aos humanos através de um animal selvagem, ainda desconhecido, que foi infetado por morcegos.

Um estudo genético divulgado confirma que o novo coronavírus com origem na China terá sido transmitido aos humanos através de um animal selvagem, ainda desconhecido, que foi infetado por morcegos.

O estudo, conduzido por cientistas chineses, incluindo do Centro de Prevenção e Controlo da Doença da China, analisou o genoma do coronavírus de nove doentes diagnosticados com pneumonia viral, na cidade de Wuhan, onde começou o surto em dezembro. 

O trabalho, divulgado na publicação médica britânica The Lancet e que valida em laboratório uma tese assumida por especialistas, sugere que o novo coronavírus, designado provisoriamente pela Organização Mundial de Saúde como "2019-nCoV", teve como hospedeiro inicial um morcego e foi transmitido às pessoas através de um animal selvagem, ainda desconhecido, que era vendido no mercado de animais vivos de Huanan, em Wuhan, capital da província de Hubei, no centro da China.

Embora com cautelas, os autores do estudo admitem que o novo coronavírus não é resultado de uma mutação genética de outro coronavírus, mas pode ter entrado nas células humanas da mesma forma que o coronavírus que causou a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), também identificada pela primeira vez na China, em 2002 e 2003. 

Os investigadores analisaram amostras de genomas (informação genética) do "2019-nCoV" - oito sequências completas e duas parciais - recolhidas dos nove doentes com pneumonia viral. Oito dos pacientes frequentaram o mercado de Huanan, o restante esteve num hotel próximo antes de ficar doente.

De acordo com a equipa científica, as amostras das sequências genéticas são quase idênticas, pelo que o coronavírus terá emergido nos humanos muito recentemente e sido detetado rapidamente.

A China elevou hoje para 169 mortos e mais de 6 mil infetados o balanço de vítimas do novo coronavírus identificado no final do ano em Wuhan.

Além do território continental da China, foram reportados casos de infeção em Macau, Hong Kong, Taiwan, Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Estados Unidos, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, Austrália, Canadá, Alemanha, França, Finlândia e Emirados Árabes Unidos.

A Organização Mundial de Saúde decidiu hoje voltar a convocar, na quinta-feira, o Comité de Emergência para determinar se o surto do novo coronavírus deve ser uma emergência de saúde pública internacional.


Notícias relacionadas

Coronavírus. Primeiro caso registado na Bélgica
As autoridades da Bélgica confirmaram hoje o primeiro caso no país do novo coronavírus (2019-nCoV) numa pessoa que foi repatriada da cidade chinesa de Wuhan, foco de um surto da doença, que já matou 426 pessoas.
Filipinas confirmam primeiro caso de coronavírus
O secretário de Saúde filipino, Francisco Duque, disse que a pessoa contagiada é mulher chinesa, de 38 anos, viajou de Wuhan, na China continental, via Hong Kong, para as Filipinas no dia 21 de janeiro.