Escolha as suas informações

Coronavírus. China autorizou repatriamento de cidadãos portugueses
Sociedade 31.01.2020 Do nosso arquivo online

Coronavírus. China autorizou repatriamento de cidadãos portugueses

Coronavírus. China autorizou repatriamento de cidadãos portugueses

AFP
Sociedade 31.01.2020 Do nosso arquivo online

Coronavírus. China autorizou repatriamento de cidadãos portugueses

O Governo português anunciou hoje que as autoridades chinesas já deram autorização para o repatriamento dos cidadãos nacionais retidos em Wuhan. Voo "será realizado logo que respeitados os devidos procedimentos".

"Podemos informar que esse processo [de autorização] já está concluído de modo que o voo será realizado logo que respeitados os devidos procedimentos técnicos e regulamentares", indica, em comunicado divulgado hoje, o gabinete do ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

Os 17 portugueses retidos em Wuhan, cidade chinesa colocada sob quarentena, foram notificados que o voo a partir do qual estava planeado serem retirados hoje à noite foi adiado para sábado, disseram à Lusa.

O voo partiu na quinta-feira de Portugal rumo a Paris e deveria ter saído hoje rumo a Hanói e depois a Wuhan, no centro da China, para resgatar cidadãos europeus, incluindo os 17 portugueses.

A China elevou para 213 mortos e quase 10 mil infetados o balanço do surto de pneumonia provocado por um novo coronavírus (2019-nCoV) detetado no final do ano em Wuhan, capital da província de Hubei (centro).

Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há mais de 50 casos de infeção confirmados em 20 outros países - Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Taiwan, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, Estados Unidos, Canadá, França, Alemanha, Itália, Reino Unido, Austrália, Finlândia, Emirados Árabes Unidos, Camboja, Filipinas e Índia.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou na quinta-feira uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional (PHEIC, na sigla inglesa) por causa do surto do novo coronavírus na China.

Vários países já começaram o repatriamento dos seus cidadãos de Wuhan, uma cidade com 56 milhões de habitantes que foi colocada sob quarentena, na semana passada, com saídas e entradas interditadas pelas autoridades durante um período indefinido, e diversas companhias suspenderam as ligações aéreas com a China.

A Comissão Europeia ativou na terça-feira o Mecanismo Europeu de Proteção Civil, a pedido da França.



Notícias relacionadas

Filipinas confirmam primeiro caso de coronavírus
O secretário de Saúde filipino, Francisco Duque, disse que a pessoa contagiada é mulher chinesa, de 38 anos, viajou de Wuhan, na China continental, via Hong Kong, para as Filipinas no dia 21 de janeiro.