Escolha as suas informações

Confederação da Comunidade Portuguesa no Luxemburgo : CCPL vai a votos no domingo
O último congresso da CCPL contou com muita participação dos membros

Confederação da Comunidade Portuguesa no Luxemburgo : CCPL vai a votos no domingo

Foto: José Correia
O último congresso da CCPL contou com muita participação dos membros
Sociedade 3 min. 22.04.2015

Confederação da Comunidade Portuguesa no Luxemburgo : CCPL vai a votos no domingo

A Confederação da Comunidade Portuguesa no Luxemburgo (CCPL) elege novos corpos gerentes no domingo, dia 26 de Abril, durante o seu oitavo congresso.

A Confederação da Comunidade Portuguesa no Luxemburgo (CCPL) elege novos corpos gerentes no domingo, dia 26 de Abril, durante o seu oitavo congresso.

”Interculturalidade – união de amanhã” é o tema do congresso deste ano. “Neste congresso, retomámos como lema a ideia que o Conselho da Europa preconiza desde 1995 para a construção da sociedade, o diálogo entre culturas, a interculturalidade. Em ano de referendo no Luxemburgo, voltar a chamar a atenção para este objectivo primeiro da CCPL pareceu-nos importante”, explica José Coimbra de Matos, presidente cessante da CCPL.

Coimbra de Matos, que preside à Confederação desde 1999 e não é candidato à sua própria sucessão (ver artigo supra e na pág. 3), recordou um dos cavalos de batalha da associação. “Defendemos que os portugueses devem fazer parte da sociedade luxemburguesa, não queremos que a comunidade seja fechada sobre si mesma. E a cidadania plena consegue-se através de uma participação dos cidadãos a todos os níveis”.

Paula Martins e Artur Fernandes, da direcção da CCPL, subscrevem: “Falar hoje na participação cívica dos estrangeiros está na moda, por causa do referendo deste ano no Luxemburgo, mas esta é uma luta que a CCPL trava há mais de 20 anos”.

“O mundo associativo é o maior motor da sociedade. Os imigrantes, e os portugueses, pela sua proporção, já desempenham um papel relevante a esse nível no Luxemburgo”, recordam ainda os responsáveis da Confederação.

“Chegam ao Grão-Ducado todos os dias novos imigrantes, não só portugueses, mas de todas as nacionalidades, e o país não está a saber dar respostas adequadas nem tem infra-estruturas suficientes. Há cada vez mais não-portugueses nos cursos que a CCPL propõe. Queremos que as autoridades reconheçam o nosso trabalho a esse nível, porque já estamos a ajudar, e queremos ajudar mais”, afirmam.

Os responsáveis da CCPL não entendem assim porque recebem tão pouco apoio do Estado luxemburguês. “Recebemos 2.500 euros por ano, dos quais cerca de 800 euros vão para a renda de uma ’meia-cave’ que abriga a sede da CCPL, aqui em Gasperich”, lamenta Coimbra de Matos. Essa é também uma das lutas que a nova direcção e presidência vão ter de travar, mais reconhecimento e apoio por parte das autoridades.

O congresso da CCPL, segundo estipulam os estatutos, deveria ter lugar todos os três anos. No entanto, os últimos congressos decorreram em 2010 e 2006. O congresso da CCPL serve não só para que a Confederação proceda à eleição de novos corpos gerentes, como para determinar linhas directivas.

Participam no congresso delegados das associações afiliadas, representantes das autoridades portuguesas e luxemburguesas, de partidos e sindicatos luxemburgueses e portugueses, representantes dos órgãos de comunicação social portuguesa no Grão-Ducado, além de organizações de imigrantes no Luxemburgo e na Europa, entre outros. O congresso é assim igualmente a oportunidade para discutir com os principais actores e interessados os assuntos ligados à imigração portuguesa no Luxemburgo.

Fundada em 1991, a CCPL é uma estrutura de cúpula que reagrupa actualmente mais de metade das associações portuguesas do Luxemburgo, representantes portugueses das Comissões Consultivas de Integração (CCI) que funcionam a nível municipal, representantes portugueses do Conselho Nacional de Estrangeiros (CNE), órgão de consulta do Governo luxemburguês para a imigração, bem como os conselheiros do Conselho das Comunidades (CCP), órgão consultivo do Governo português para os assuntos da emigração.

No domingo, o congresso tem início às 10h e decorre na Sala Polivalente de Beggen.

 JLC


Notícias relacionadas

Líder da única lista ao CCP: "Conselho das Comunidades não pode ser sindicato do bota-abaixo"
Rogério de Oliveira lidera a única lista apresentada no Luxemburgo para as eleições do Conselho das Comunidades Portuguesas, agendadas para 6 de Setembro. Ao CONTACTO,o presidente da Associação da Bairrada, que já tinha sido candidato em 2008, contra o ainda conselheiro Eduardo Dias, disse que prefere o diálogo ao confronto, e não poupou críticas àquele órgão consultivo para a emigração, defendendo que não pode ser "um sindicato do bota-abaixo".
Rogério Oliveira tem 69 anos, e é há18 presidente da Associação Cultural e Humanitária da Bairrada no Luxemburgo