Escolha as suas informações

Com 70 novos casos e 17 mortes Bélgica prepara nova fase de desconfinamento
Sociedade 2 min. 03.06.2020

Com 70 novos casos e 17 mortes Bélgica prepara nova fase de desconfinamento

Com 70 novos casos e 17 mortes Bélgica prepara nova fase de desconfinamento

Foto: AFP
Sociedade 2 min. 03.06.2020

Com 70 novos casos e 17 mortes Bélgica prepara nova fase de desconfinamento

Lusa
Lusa
A Bélgica registou nas últimas 24 horas um recuo no número de novos casos de covid-19, para 70, e de mortes, para 17, segundo dados oficiais hoje divulgados, preparando-se para entrar em mais uma fase de desconfinamento.

Segundo o boletim epidemiológico de hoje, nas últimas 24 horas foram registadas 70 novas contaminações pelo coronavírus SARS-CoV-2, menos 28 do que no dia anterior, para um total de 58.685.

O número de mortes também voltou a descer: 17 nas últimas 24 horas, menos duas do que na véspera, totalizando as 9.522 desde o início da pandemia, em fevereiro. O boletim dá ainda conta de 31 novas hospitalizações (17.354) e 25 altas hospitalares (15.959). Entre o início de março e o dia 02 de junho foram realizados 545.728 testes.

O Conselho de Segurança nacional discute hoje o início, na segunda-feira, da terceira fase do desconfinamento, com a reabertura de restaurantes e bares e o alargamento dos contactos sociais.

Os lugares de culto e celebração religiosa também poderão reabrir na próxima semana.

Alemanha

A Alemanha regista um total de 182.370 casos de covid-19, com um aumento de 342 em relação ao dia anterior, e a taxa de contágio em Berlim atinge 1,95. O valor, revelado na terça-feira pelas autoridades, significa que, na capital, cada pessoa infetada contagia quase outras duas.

Ainda assim, o Instituto Robert Koch (RKI) avisa que estes indicadores estão sujeitos a desvios, ressalvando que o número de novos casos no país é agora relativamente baixo.

A Alemanha tem agora 8.551 vítimas mortais, uma subida de 29 nas últimas 24 horas, e 167.300 casos considerados curados, mais cerca de 800 em relação ao dia anterior.

Hoje, os partidos que integram a "grande coligação" que forma o governo voltaram a juntar-se para discutir um novo plano de ajuda à economia.

Na terça-feira o encontro entre a União Democrata-Cristã (CDU) de Angela Merkel, a União Social-Cristã (CSU) e o Partido Social Democrata (SPD) foi interrompido durante a noite por falta de consenso.

A reunião foi retomada hoje, às 10:30 horas (9:30 em Lisboa), numa tentativa de desbloquear a questão das ajudas ao setor automóvel, que está a dividir os partidos.

O valor final desta nova ajuda económica que o executivo alemão está a preparar ainda não foi formalmente anunciado, mas, de acordo com os meios de comunicação, deverá estar entre os 80 e os 100 mil milhões de euros.

Já em março, o governo liderado por Merkel aprovou um orçamento adicional inédito de 156 mil milhões de euros para fazer frente à crise provocada pela pandemia de covid-19.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Alemanha: Martin Schulz deixa presidência do SPD
O presidente do Partido Social-Democrata (SPD) alemão, Martin Schulz, anunciou hoje que deixará em breve o cargo, algumas horas depois de ter sido divulgado um acordo de coligação com os conservadores de Angela Merkel para um futuro governo.